Pintura de António Caetano no CAS

g_expocaetano_1_980_2500.jpg

A Câmara Municipal de Sines inaugura, no dia 24 de novembro, às 16h00, no Centro de Artes de Sines, a exposição de pintura “Persistência do Mito”, de António Caetano.

Licenciado em Artes Plásticas, António Caetano nasceu e vive em Sines. Nesta primeira retrospectiva individual na maior sala de exposições da sua cidade, apresenta 17 telas e 50 desenhos que sintetizam uma vida de pintura marcada pela ligação do património da história da arte a temas contemporâneos.

Se num primeiro olhar a pintura de António Caetano nos leva para o mundo dos grandes mitos da Antiguidade clássica, sob essa capa abordam-se os grandes conflitos dos nossos dias, desde o êxodo da Síria ao Brexit, que nos são apresentados como manifestações das grandes constantes da natureza humana.

A forma de expressão dos temas é figurativa, mas nela transparece todo um mundo irracional, nascido de associações subconscientes, que ecoa as experiências do surrealismo do pós-guerra.

Estas obras não são assim uma fuga à realidade quotidiana para o mundo da Antiguidade e da fantasia, mas sim um mergulho na mais profunda e intemporal raiz dos conflitos humanos à qual permanecemos fortemente ligados, apesar dos aparentes avanços civilizacionais nos nossos tempos.

A exposição está patente até 21 de janeiro de 2018 e, depois da inauguração, pode ser visitada nos dias úteis, das 14h00 às 20h00, e aos sábados, domingos e feriados, no período 14h30-20h00. A entrada é livre.

A exposição “Persistência do Mito” está integrada nas comemorações do Dia do Município de Sines (1362-2017).

Imagem do topo: “Êxodo Sírio”. Óleo sobre tela

Anúncios

Ana Sousa bate Recorde Nacional Júnior

anasousa_1_980_2500.jpg

A nadadora Ana Sofia Sousa, do Clube de Natação do Litoral Alentejano, é a nova recordista nacional de natação na distância 200 metros livres em piscina curta, escalão junior-16.

Ana Sofia obteve este resultado no Meeting Internacional do Algarve, realizado a 11 e 12 de novembro, em Vila Real de Santo António.

O novo recorde – 2 minutos 01 segundo e 86 centésimos – supera em mais de 2 segundos o anterior recorde nacional.

Foto: CNLA

Indorama: Artlant a 100% em Agosto 2018

artlant2012.jpg

Os tailandeses da Indorama Ventures Public Company Limited  (IVL), que anunciou a aquisição dos activos de ácido tereftálico purificado (PTA, na sigla inglesa) da insolvente Artlant prevê estar a 100% em agosto do próximo ano. A operação em relação ã Artlant envolve ainda a “compra dos activos adjacentes da Artelia Ambiente SA, que tem uma capacidade de 40 MW de cogeração, e fornece a Artlant, que era pertencente aos grupos franceses Dalkia e Veolia. A Indorama, que é cotada na bolsa indicou que a unidade industrial da Artlant irá começar as suas operações no terceiro trimestre de 2018, sendo que irão ser produzidos 700 mil toneladas por ano.  A empresa não revela o valor da aquisicão, e afirma que em relação aos credores, será o administrador judicial a fazer o acerto com os mesmos. Apesar da aquisição ter sido feita pela subsidiária holandesa, é intenção criar uma nacional, sendo que irão existir mais 150 a 175 postos de trabalho com a expansão da unidade.

 

A derrota injusta do Vasco da Gama

img_770x433$2017_11_14_01_05_35_1333945.jpg

O Vasco da Gama de Sines foi informado na passada sexta-feira de que tinha sido punido com pena de derrota no jogo com o Barreirense, agendado para o domingo anterior no Estádio Municipal de Sines, que não se realizou… por as balizas serem pequenas.

Tudo aconteceu no passado dia 5, quando os alentejanos receberam o Barreirense, para a 5ª jornada da 1ª Divisão da AF Setúbal. Depois do alerta quanto à altura das balizas, o árbitro verificou que de facto havia uma irregularidade, com uma baliza a ter menos 14 cm de altura.

Apesar da insistência do Barreirense em disputar o jogo, segundo um comunicado do clube do Barreiro – “Lamentamos profundamente a não realização do jogo; não nos parece que tenhamos responsabilidade na anomalia detetada e convictos de que tudo fizemos para que a realização do encontro tivesse sido uma realidade” – o duelo foi interrompido e quatro dias depois a associação distrital atribuiu a pena de derrota aos alentejanos.

“No início da época todos os campos têm de ser vistoriados.
A AF Setúbal não o fez, pelo menos na 1ª Divisão”, denunciou o técnico do Vasco da Gama, Vítor Madeira, que relembra que esta época já realizaram quatro jogos em casa. “É um facto que a baliza estava com menos altura, mas o campo não é nosso, é uma situação que não nos pode ser imputada”, acrescentou, lembrando que a vistoria é… amanhã.

Câmara assume responsabilidade

A Câmara Municipal de Sines enviou um ofício à AF Setúbal, no qual explica que “o campo onde se situa a referida baliza é de relva natural”, explicando que “ao longo do ano devido às chuvas e à rega há a tendência para um deslocamento de terras”, assumindo que vão “proceder às intervenções necessárias”. O Vasco da Gama considera que devia ser punido com o ponto 3 do Artigo 66.º – “O jogo é mandado repetir se não se realizar por facto não imputável ao clube considerado visitado” – e não com derrota, pois considera que não tem responsabilidade pela manutenção. Contactado, o presidente da AF Setúbal, Francisco Cardoso, recusou-se a comentar o assunto.

Ginasta de Sines conquista Bronze nos Mundiais

sarasousa_1_980_2500.jpg

A ginasta Sara Sousa, da Academia de Ginástica de Sines, conquistou uma medalha de bronze no Campeonato do Mundo de Ginástica de Trampolins – Absolutos, que decorreu de 9 a 12 de novembro, em Sófia, na Bulgária.

Sara Sousa (terceira ginasta na fotografia a contar da esquerda) integrou a equipa portuguesa que ficou em terceiro lugar na modalidade de duplo mini-trampolim.

Inês Martins, Mafalda Brás e Beatriz Peng completaram o quarteto português medalhado, atrás apenas das equipas da Rússia e do Reino Unido.

Outra ginasta formada em Sines, Beatriz Martins, ficou a um passo do pódio – foi quarta na modalidade de trampolim sincronizado, em dupla com a atleta Ana Rente – e obteve um 19.º lugar em trampolim individual.

CAS: Bebés e Famílias em Viagem pelas Artes

g_bebesartes_1_980_2500

O Serviço Educativo e Cultural do Centro de Artes de Sines promove, no fim de semana de 18 e 19 de novembro, um programa de actividades no qual bebés e suas famílias são convidados de honra num percurso pelo mundo das artes.

A segunda edição da iniciativa “Bebés e Famílias às Artes”, integralmente realizada nos espaços do Centro de Artes de Sines, começa sábado, 18 de novembro, às 10h00, com ioga para bebés dos 12 aos 24 meses, dinamizado por Milene Gonçalves.

Milene Gonçalves volta a estar com os bebés e famílias, no mesmo dia, às 15h00, para a apresentação do livro “Barrigas de Amor”. Paralelamente, decorre um ateliê de ilustração dirigido por Elsa Poderosa, que ilustrou o livro.

Ainda no sábado, às 16h30, a Sociedade Recreativa S. Teotoniense apresenta a peça de teatro “A Menina do Mar”, a partir da obra homónima de Sophia de Mello Breyner Andresen.

O programa de domingo, 19 de novembro, começa às 11h00 com “Canto de Colo”, espaço de encontro e partilha de saberes e experiências, de brincadeiras, cantares e aconchego, com Cláudia Fonseca, dirigido a pais, mães, avós e crianças até aos 3 anos.

Cláudia Fonseca regressa às 15h30 com “Contadinhas”, cantigas, contos cantados e pequenas histórias com e sem livro para crianças dos 3 aos 6 anos (pré-escolar).

Às 16h30, encerrando a iniciativa, a equipa de mediação de leitura do Centro de Artes de Sines dinamiza uma hora do conto para famílias.

Todas as iniciativas são gratuitas, mas requerem marcação pelo telefone 269 860 080 ou pelo email lrodrigues@mun-sines.pt. A peça “A Menina do Mar” necessita de levantamento de bilhete.

Durante as actividades, no âmbito de parceria com a livraria A das Artes, estarão disponíveis livros e jogos para as várias faixas etárias.

Portocovense em destaque na Joalharia.

mw-680

De acordo com a Revista Visão, há 9 nomes que se destacam na nova geração de Joalheiros Portugueses. Um do nomes em destaque é o da Portocovense Tânia Gil.

“Tânia Gil”: São anéis, fios, brincos, pulseiras e alfinetes, embora mais pareçam pedaços da natureza encontrados por aí. Quando era pequena, Tânia Gil colecionava conchas, búzios e ouriços-do-mar com as irmãs, apanhados à beira-mar ao pé de Porto Covo, aldeia do litoral alentejano onde cresceu. Hoje, é neles que se inspira para desenhar joias (“objetos usáveis”, prefere chamar-lhes), mas também noutros elementos que vai recolhendo nas suas deambulações pela costa ou em viagens pelo mundo. “Todos os dias são dias de pesquisa. Se vou pela rua e, pelo caminho, encontro uma semente ou uma folha, levo-as comigo”, conta a artesã, que depois transforma toda esta matéria em peças de prata, seja polida, oxidada ou com banho de ouro. A madeira, com aplicações, é outro material que gosta de explorar. “Gosto do cheiro. A madeira tem desenhos e formas que nos direcionam. É um bom exemplo do que pode ser um projeto mais espontâneo, que nasce sem ser pensado, ao contrário do acontece quando trabalho a prata.”

mw-680 (1).jpg

Para Tânia Gil, 36 anos, a joalharia é sonho de menina tornado realidade. E se ainda hoje vai buscar alguns ensinamentos da licenciatura em Design de Equipamento que tirou no IADE, foi na escola de joalheiros Contacto Directo, no bairro lisboeta de Santos, onde entrou em 2003, que tudo passou a fazer sentido. É nesta mesma zona que, agora, tem a sua oficina-ateliê, onde os clientes que a visitam a podem ver a trabalhar, concebe as peças que vende em mercados e lojas selecionadas, e prepara as idas a feiras internacionais. “Não é fácil, é preciso muita persistência”, afirma. “Hoje já há mais apoios financeiros para montar uma oficina e a joalharia portuguesa tem ganho cada vez mais destaque, sobretudo lá fora. A Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal [com sede no Porto] tem feito um bom trabalho neste sentido”, salienta Tânia, que, no próximo mês de janeiro, volta, pela terceira vez, à Bijorhca, a feira internacional de joalharia de Paris.

Tânia Gil: Travessa dos Mastros, 1, Lisboa > T. 96 640 4202 > http://www.taniagil.com

Entrevista: Susana Lopes Faustino

Foto: Mário Lopes Ferreira