PIB. Desconfinamento leva PIB a crescer 4,2% no terceiro trimestre

O produto interno bruto (PIB) subiu 4,2% no terceiro trimestre do ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e revelam ainda que em cadeia representou um aumento de 2,9% face ao segundo trimestre. 

“O PIB, em termos reais, registou uma variação homóloga de 4,2% no 3º trimestre de 2021. No trimestre anterior, a variação homóloga do PIB tinha sido 16,1%, em grande medida, devido ao forte impacto da pandemia no 2.º trimestre de 2020”, diz o gabinete de estatística. 

O INE explica este comportamento com o “contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB foi positivo, mas menos intenso que o observado no trimestre anterior”. No entanto, lembra que o contributo da procura externa líquida manteve-se negativo no 3.º trimestre,  ao verificar-se um aumento das importações de bens e serviços que esteve “ligeiramente mais pronunciado do que o crescimento das exportações de bens e serviços”. 

Já em comparação com o 2.º trimestre do ano passado, o PIB aumentou 2,9% em volume, “verificando-se um contributo positivo da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB, após ter sido negativo no 2º trimestre, e um contributo positivo menos intenso da procura interna no 3.º trimestre de 2021”. E explica esta tendência: “O crescimento do PIB no 3.º trimestre de 2021 refletiu a diminuição gradual das restrições impostas pela pandemia, após dois trimestres com resultados opostos: a forte redução do PIB no 1.º trimestre (-3,3%), determinada pelo confinamento geral e um aumento de 4,4% no 2º trimestre, marcado pelo levantamento gradual das restrições à mobilidade”.

Triatleta do Vasco da Gama AC percorreu a Estrada Nacional 2

Segundo avança a Secção de Triatlo do Vasco da Gama AC, na sua Página de Facebook, o atleta Dino Ablum, efectuou os 738 Km da mítica Estrada Nacional 2, que liga o país de Norte a Sul de Chaves a Faro, passando por 11 distritos e 35 municípios. O triatleta efectuou este percurso no passado dia 27 e 28 de Novembro, juntamente com uma comitiva que o acompanhou num carro de apoio. É mencionado que dadas as condições climatéricas presentes nesta travessia, que tenha sido um bom teste físico para o atlera, em virtude do nível altíssimo de exigência física, psicológica, emocional, entre outras.

Teatro Físico da Estónia no CAS

No âmbito da Litoral EmCena, a companhia estoniana Giraffe Royal Theatre apresenta o espectáculo “Karnaval” no auditório do Centro de Artes de Sines, dia 9 de dezembro, às 21h30. “Karnaval” é uma performance visual de teatro físico na tradição do palhaço branco, técnica delicada e requintada, que quase desapareceu nos dias de hoje. A performance é sobre o mundo do carnaval que existe paralelamente ao nosso. Esta performance, com criação e interpretação de Stanislav Warkki, Larissa Lebedeva e Anna Varkki, tem várias linhas de percepção e cada espectador pode ver à sua maneira. São belezas, experiências, filosofias, signos e símbolos místicos, semelhantes ao nosso quotidiano, se olharmos mais de perto. Visualmente lembra fotos de um livro infantil. Espectáculo adequado para crianças e adultos, com classificação M/6 e duração de 40m. A realização do espectáculo decorre de acordo com as orientações da Direcção-Geral de Saúde em vigor. O Litoral EmCena é um projecto intermunicipal promovido pela AJAGATO em parceria estratégica com as Câmaras Municipais de Santiago do Cacém e de Sines e cofinanciado pelo FEDER, fruto da candidatura n.º ALT20-14-2020-02 – Património Cultural.

ZILS recebe a 1ª grande conferência nacional sobre as novas soluções energéticas

A Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS), a maior área de acolhimento empresarial de Portugal – gerida pela aicep Global Parques, recebe a primeira grande conferência nacional sobre as novas soluções energéticas para a indústria.

No âmbito desta conferência destaca-se  a importância da economia do hidrogénio verde, reunindo as mais relevantes empresas do sector de Sines e do Alentejo com a entidades públicas relevantes.

Esta iniciativa é organizada no âmbito do programa Invest in Alentejo, liderado pela ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo, cofinanciado pelo Alentejo 2020.

Raid Equestre percorreu caminhos da Bêbeda

A zona da Bêbeda, em Sines, recebeu no dia 27 de outubro a Prova de Resistência Equestre – Raid Internacional de Sines.A competição englobou três concursos equestres internacionais (CEI*** 160 km, CEI **120 km e CEI* 100 km), a Taça de Portugal e dois concursos equestres nacionais (CEP 80 km e CEP 40 km), sendo a prova de 160 km uma prova qualificação para o próximo campeonato do mundo.As provas contaram com a participação de 70 conjuntos de 10 países: Portugal, Espanha, França, Brasil, Suíça, Argentina, Países Baixos, Uruguai, Kuwait e Arábia Saudita.É de de destacar a presença das cavaleiras Maria Álvarez Ponton, campeã da Europa em 2009 e campeã do Mundo em 2008 e 2010, Barbara Lissarague, campeã do mundo em 2004, e Julia Montagne, a actual n.º 1 do ranking mundial da Federação Equestre Internacional. Estiveram também presentes as melhores quadras de endurance do mundo: M7 Stables, do Dubai, e Juma’s Team Endurance, de Espanha. Um dos cavaleiros em competição, na prova de 160 km, foi Pedro Godinho, residente em Sines.De realçar ainda que, neste ano, foi batido o recorde de velocidade, em Portugal, na distância de 160 km.É a segunda vez que esta prova se realiza no concelho de Sines, sendo neste momento reconhecida pela qualidade dos pisos e pela beleza do enquadramento paisagístico do local da Bêbeda.

Situação de calamidade vai durar até março de 2022.

Começa na próxima quarta-feira, dia 1 de dezembro, o nível de calamidade em Portugal, e assim deverá ficar a situação durante os próximos quatro meses, até dia 20 de março de 2022, esclarece a resolução do Conselho de Ministros, publicada este domingo em Diário da República. Esta é a segunda vez este ano que Portugal Continental se encontra em situação de calamidade, depois de ter estado neste nível entre 1 de maio e 30 de setembro. Já desde o início da pandemia, é a terceira vez. A situação de calamidade é o nível de resposta a situações de catástrofe mais alto previsto na Lei de Bases da Proteção Civil, depois da situação de alerta e de contingência. Portugal Continental estava em situação de alerta desde 1 de outubro que terminava amanhã, dia 30 de novembro.

Período foi decidido em Conselho de Ministros.

Idade legal de reforma recua para 66 anos e quatro meses

iA idade normal de acesso à reforma vai descer, em 2023, para os 66 anos e quatro meses, sofrendo um recuo de três meses face aos 66 anos e sete meses aplicáveis em 2022 em resultado da mortalidade trazida pela pandemia neste último ano.

O recuo na idade legal da aposentação resulta da fórmula que compara a esperança média de vida aos 65 anos de vida nos dois anos e três anos anteriores ao pedido de acesso. Com base nos dados relativos a 2021 e 2020 divulgados pelo INE nesta segunda-feira, implicará em 2023 menos três meses de espera para a reforma, de acordo com os cálculos do Dinheiro Vivo.

O INE indica hoje que o valor provisório da esperança média de vida aos 65 anos passou, no triénio terminado em 2021, para 19,35 anos, quando nos dados de um ano antes estava em 19,69 anos. Trata-se de um recuo neste indicador de longevidade de 0,34 anos, correspondendo a quatro meses “em resultado do aumento do número de óbitos no contexto da pandemia COVID-19”, indica.

A pandemia reduz também o corte do factor de sustentabilidade das pensões antecipadas pedidas no próximo ano para 14,06%.

Nos cálculos que têm por base a esperança média de vida aos 65 anos no ano 2000, de 16,63 anos, e aquela que foi observada neste ano, de 19,35 anos, o factor de sustentabilidade fica agora em 0,85943152, implicando uma penalização de 14,06% no valor de reforma.

A esta penalização, soma-se ainda um corte de 0,5% por cada mês de antecipação à idade legal de reforma, numa segunda penalização não dependente da evolução da esperança média de vida.

O corte do factor de sustentabilidade, porém, abrangerá já poucas pessoas, tendo sido nos últimos anos eliminado para carreiras muito longas e diferentes profissões de especial desgaste. As carreiras contributivas mínimas de 40 anos asseguram também aos 60 anos a aposentação antecipada sem corte do factor de sustentabilidade, mantendo a segunda penalização de 0,5%.

Hidrogénio verde em Sines. Decisão sobre investimento será tomada nos próximos dois anos.

A EDP Renováveis lidera o consórcio Green H2 Atlantic que visa o desenvolvimento e a operação de um eletrolisador com 100 megawatts para produzir hidrogénio verde.

Segundo avança o Jornal Económico, o grupo EDP diz que vai tomar uma decisão de investimento sobre o hidrogénio verde em Sines no espaço dos próximos dois anos. A EDP Renováveis lidera o consórcio Green H2 Atlantic que teve a luz verde por parte da Comissão Europeia recentemente, com direito a receber fundos europeus no valor de 30 milhões de euros de um total de 76,6 milhões de euros previstos de investimento. O objectivo é construir um eletrolisador para produzir hidrogénio verde com 100 megawatts de potência.“Estes processos de desenvolvimento demoram bastante tempo, é preciso fazer uma análise técnica, económica. O consórcio está a trabalhar nisso, não antevejo uma decisão de investimento no curto prazo, isto são processos que demoram o seu tempo de maturação”, disse o presidente do grupo EDP.

“A própria tecnologia do hidrogénio é bastante embrionária, é preciso perceber o custo de investimento, o que se faz com o hidrogénio, para além de saber o preço a que se poderia vender o hidrogénio. Há ali uma série de temas que têm de ser bastante aprofundados para nos próximos dois anos se poder tomar uma decisão de investimento”, afirmou Miguel Stilwell de Andrade.

A EDP Renováveis vai ser a empresa a coordenar este projecto que visa o desenvolvimento e a operação de um eletrolisador com 100 megawatts nesta cidade.

Para produzir o hidrogénio verde, vai ser usada energia solar e eólica. Depois, o hidrogénio produzido no Green H2 Atlantic vai ser consumido em projectos localizados em Sines.

O objectivo final do Green H2 Atlantic é criar 1 gigawatt de capacidade de produção de hidrogénio verde, criando 1.147 empregos diretos e 2.744 indiretos, pode-se ler.

“O consórcio inclui toda a cadeia de valor, incluindo produtores de eletrolisadores, produção de hidrogénio verde, consumidores da indústria química e redes de gás natural, empresas de electrónica de energia, empresas de gestão de energia usando inteligência artificial, produtores de energias renováveis”, segundo o documento da Comissão Europeia.

Comissão de Utentes do Litoral Alentejano exige melhores Serviços Públicos

São várias as dificuldades nos serviços públicos na área da saúde, na região do Litoral Alentejano. As Comissões de Utentes apontam que, são empresas de trabalho temporário que asseguram o serviço de urgência do Hospital do Litoral Alentejano; o serviço de urgência pediátrica é assegurado por médicos não pediatras; os médicos de famílias são substituídos por médicos sem formação específica; faltam cerca de 100 enfermeiros em toda a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) e a acrescentam também que a Unidade de Convalescença deste hospital encerrou. No comunicado, os utentes e as suas Comissões exigem ao Governo: um médico e enfermeiro de família para todos os utentes; redução do número 1.900 para 1.500 utentes por médico e enfermeiro de família; 1 médico dentista para 2.500 utentes; implementação de condições para a realização de exames complementares de diagnóstico, em particular colheitas de sangue, nos diversos Centros de Saúde da Região; colocação de médicos pediatras no Serviço de Urgência Pediátrica do Hospital do Litoral Alentejano, 24 horas por dia; reabertura do Serviço da Unidade de Convalescença na ULSLA, assim como a reabertura da Extensão de Saúde de São Francisco da Serra (Santiago do Cacém) e, entre outras reivindicações, pedem o cumprimento integral da Lei dos Tempos Máximos de Resposta garantidos nas consultas e cirurgias em toda a ULSLA. 

Rui Rio vence nas directas em Sines.

Rui Rio foi reeleito presidente do PSD com 52% dos votos, contra 48% de Paulo Rangel. Rio, que lidera o PSD desde janeiro de 2018, manter-se-á como o 18.º presidente do partido, sendo este o seu terceiro mandato.

O Deputado Nuno Carvalho, mandatário de Rui Rio no Distrito, anunciou que Sines foi um dos concelhos em que Rui Rio venceu, para além Alcochete, Seixal e Setúbal.

Ainda assim, o vencedor do Distrito foi o candidato Paulo Rangel.