Portugal goleia e segue para os quartos de final

Fantástica a exibição de Portugal. Goleada à Suíça, com hat trick de Gonçalo Ramos e tudo no dia em que Cristiano Ronaldo foi suplente. Fernando Santos deixou de fora CR7, lançou Otávio e Gonçalo Ramos no onze e as apostas resultaram em pleno já que a Seleção portuguesa realizou uma exibição brilhante, que começou a ser construída aos 17 minutos no primeiro golo de Gonçalo Ramos. Estava a aberto o caminho que Pepe consolidou quando subiu ao céu de cabeça fez o 2-0.Os suíços regressaram do intervalo com novo sistema tático, mas de nada lhes valeu porque a máquina lusa estava muitíssimo inspirada, principalmente Gonçalo Ramos que voltou a marcar e, poucos minutos depois, Raphael Guerreiro também fazia o gosto ao pé. A vitória já não escapava a Portugal e nem o golo de Akanji para a Suíça punha em risco a passagem aos quartos de final. Mas ainda havia muito mais pela frente, com Gonçalo Ramos a assinar o hat trick, o primeiro deste Mundial, e no dia em que pela primeira vez foi titular na Seleção.Já com Cristiano Ronaldo em campo (o público pediu e gritou muito pela presença do craque português) ainda houve tempo para novo golo, agora de Rafael Leão. Portugal volta a jogar no sábado, pelas 15 horas, frente a Marrocos.

Equipas do CNLA mantém-se na 3ª Divisão.

As equipas do CNLA mantém-se no Campeonato Nacional de Clubes da 3º Divisão. No passado dia 2 de dezembro, disputou-se o Campeonato Nacional de Clubes da 3º Divisão, nas Piscinas Municipais de Estarreja. A equipa do CNLA, voltou a participar com a sua equipa feminina e masculina, pelo 2º ano consecutivo,alcançando os excelentes 25° lugar e 22° lugar respectivamente. Em termos femininos, a equipa devido a vários constrangimentos, com lesões e contratempos de saúde, participou com apenas com 4 atletas, o que “obrigou” a um enorme esforço da parte das mesmas, para preencher todas as provas do programa, tiveram quenadar no mesmo dia 4 a 5 provas cada uma. Mas mesmo assim, e sendo uma equipa jovem, com 2 seniores, 1 júnior e 1 juvenil, entraram focadas com o grande objetivo da manutenção, que seria o 28ª lugar. Ao fim das 2 jornadas conquistaram uns excelentes 148 pontos o que permitiu atingir o 25º lugar.

As atletas que atingiram este grande feito, foram: Joana Ricardo, Leonor Casinhas, Mariana Palminha e Sofia Silva. Em termos masculinos, com uma equipa em renovação há 2 anos, também com muitos jovens, o CNLA participou com 6 atletas, sendo 2 seniores, 2 juniores e 2 juvenis. Com um maior equilíbrio que a equipa feminina, esta equipa partiu com o objectivo de melhorar a classificação da época passada que foi o 22° lugar. Com muita confiança, após uns excelentes campeonatos Regionais (duas semanas antes), a equipa entrou forte, terminando a 1° jornada em 19° lugar, muito próximo do 17° lugar. Mas, com uma 2° jornada ligeiramente mais “fraca”, ao fim das 13 provas a equipa terminou no mesmo lugar da época passada, 22º lugar. Os atletas que reconquistaram o 22º lugar, foram: André Pinto, Daniel Matos, Diogo Pombo, Hugo Correia,Francisco Correia e Lucas Vilhena. Para o CNLA, manter as duas equipas mais um ano na 3ª Divisão Nacional é mais um excelente e orgulhoso feito para um clube “pequeno” e para a região do Alentejo.

Foto/Texto: CNLA

Aumento do ISP anula descida nos combustíveis

A descida do preço dos combustíveis esperada para esta semana não vai ser sentida no bolso dos consumidores. Isto porque o Governo decidiu ajustar o ISP – Imposto sobre os Produtos Petrolíferos. Com este ajuste, a descida do valor do combustível que esta semana se verifica vai ser anulada. Uma ideia do Governo mal vista pela oposição. PSD e Bloco de Esquerda já reclamaram. O líder dos social-democratas, Luís Montenegro, lembra ao Executivo socialista que uma das primeira coisas que fez, há sete anos, foi precisamente aumentar o imposto que os portugueses pagam sobre os combustíveis. Também a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, não perdoa ao Governo este aumento, em cima da crise inflacionaria em que os portugueses vivem.

Associação Evita quer dia nacional e registo próprio para cancro hereditário

A associação EVITA, que apoia portadores de alterações genéticas relacionadas com cancro hereditário, defende a criação de um registo oncológico para este cancro que permita desenhar uma estratégia para evitar a doença e reduzir a mortalidade precoce. Em declarações à Lusa, Tamara Milagre, presidente da EVITA – Associação de Apoio a Portadores de Alterações nos Genes Relacionados com Cancro Hereditário, lembra que o cancro hereditário representa 10% de todos os cancros e sublinha a necessidade de discriminar os casos de origem hereditária dos de origem esporádica, para definir uma estratégia de combate, lembrando que esta discriminação não acontece no Registo Oncológico Nacional (RON).

“Para já, são números de 2019 [os que foram divulgados este fim de semana]. No Globocan já há números de 2020, com 70.000 casos por ano, 7.000 de cancro da mama, por exemplo”, afirma Tamara Milagre, insistindo na necessidade de distinguir os casos de origem hereditária.

Comentando os dados do RON 2019, que apontam para 57.878 novos casos de cancro e 28.464 óbitos, Tamara Milagre insiste: “uma coisa que se destacou foi que aumentaram os cancros nas mulheres em idade reprodutiva”. “Será que o cancro hereditário está a ganhar mais peso porque estamos a subidentificar portadores de alterações nos genes relacionados com o cancro hereditário? Eu acredito que sim”, afirmou.

Segundo os dados do RON 2019, os novos casos de cancro aumentaram quase 20% relativamente a 2010. Os homens continuam a ter uma taxa de incidência superior às mulheres, um facto que se verifica para todos os grupos etários, à exceção das mulheres em idade fértil. “O hereditário está lá, mas não está identificado. E qualquer argumentação para um financiador ou para um decisor sobre se este cancro é ou não muito caro e sobre o impacto socioeconómico, só posso falar se souber quantas pessoas são afectadas”, acrescentou a responsável.A este respeito, a EVITA vai em breve iniciar um projecto de investigação (“HBOC-EFFECT”), em parceria com o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), o Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa, a Nova Medical School (NMS) e a Nova School of Business and Economics (Nova SBE), precisamente para apurar a carga socioeconómica do cancro da mama e ovário hereditário.

Vasco da Gama AC vence líder na 12ª jornada

O Vasco da Gama AC recebeu e venceu o Olímpico Montijo, com os golos da equipa da casa a serem marcados por Nita Rodrigues e André Trindade. O Olímpico do Montijo apresentava-se em como líder do campeonatoe o aqVasco ainda sem perder em casa para o campeonato e com apenas um golo sofrido em 5 jogos e o Olímpico invicto fora de casa com 5 vitórias em tantos outros jogos.

Uma primeira parte muito disputada e bem jogada de parte a parte com ocasiões de golo para ambos os lados, muita luta a meio campo entre duas equipas que gostam de jogar futebol, num relvado muito pesado fruto das condições meteorológicas dos últimos dias e pelo facto de estar em tratamento durante este mês. O Vasco chegou ao primeiro golo num pênalti a castigar uma mão adversária dentro da grande área e que o capitão Nita Rodrigues não perdoou. O jogo continuou aberto de parte a parte com o Montijo a ter boas oportunidades de golo mas foi o Vasco que antes do apito para o intervalo chegou ao segundo golo por intermédio de André Trindade após cruzamento de Rúben Gonçalves e grande cabeceamento do nr°17 Vascaíno!

Na segunda parte o Montijo veio com vontade de dar a volta e assumir o jogo e o Vasco procurou sentenciar a partida em transições rápidas. O jogo tornou-se ainda mais físico e o Montijo ia dispondo de muitas bolas paradas sem criar muito perigo. Foi o Vasco da Gama que por duas ocasiões teve muito perto de fazer o terceiro com Trindade e Torpes isolados a falharem o chapéu ao guarda redes adversário, mas seria o Olímpico já perto do final a fazer o 2-1 por Ramião num lance que deixa dúvidas se a bola entra na totalidade e estava feito o resultado final

Grande jogo de futebol com uma boa arbitragem da equipa liderada por Henrique Pires auxiliado por Hugo Almeida e Rodrigo Esteves.

Foto/Texto: FB Vasco da Gama AC

José Luís Cacho faz um apelo às empresas brasileiras para investirem no Porto de Sines

José Luís Cacho faz um apelo às empresas brasileiras para investirem no Porto de Sines
Presidente da administração portuária defende maior relação comercial entre os dois países aproveitando a janela de mercado internacional para o agronegócio em decorrência da guerra na Ucrânia.
“É uma oportunidade grande para todas as entidades brasileiras e portuguesas olharmos para o agronegócio como um potencial de desenvolvimento numa estratégia
conjunta”, frisou José Luís Cacho.
No intuito de atrair investimentos de empresas do Brasil para o Porto de Sines, o Presidente da APS citou a parceria com a aicep Global Parques, da Zona de Actividades Logísticas de Sines (ZAL-SINES), destacando o trabalho de captação de investimentos estrangeiros
realizado pela companhia.
“Para se ter uma ideia, os números são da ordem de 17 mil milhões de euros em investimentos em Sines ao longo
dos próximos anos. É um número impressionante dos trabalhos que estão sendo feitos aqui” – sublinhou.

VGAC participou na 2ª São Silvestre Grândola-Amiciclo 2022

A primeira participação oficial da equipa Atletismo VGAC, decorreu em Grândola, na 2ª São Silvestre Grândola-Amiciclo 2022 e de uma forma muito bem conseguida, em especial na vertente feminina Miriam Silva (2° Geral Fem e 2° M35) e Susana Mateus (4° Geral Fem 1° Sen).Na vertente Masculina tivemos Fabio Faustino (12° Geral Mas e 6° M35) e Luis Cortinhas (23° Geral e 3° M40). Esta nova secção do Vasco da Gama Atlético Clube tinha sido anunciada no passado dia 18 de Novembro.

MAISines vota contra Orçamento da Câmara Municipal para 2023

O MAISines – Movimento de Cidadãos Independentes, que lidera a oposição nos órgãos autárquicos em Sines, anunciou que votou contra o Orçamento da Câmara Municipal de Sines. Em comunicado publicado na sua Página de Facebook, os Independentes afirmam o seguinte:

“Os vereadores António Braz e Gonçalo Naves votaram Contra o Orçamento da Câmara Municipal de Sines para 2023, na reunião de Câmara que decorreu ontem, nos Paços do Concelho.

Os vereadores apresentam a seguinte nota justificativa do seu voto: “O MAISines vota Contra a presente proposta de aprovação do Orçamento 2023 por não encontrar plasmadas no documento verbas para fazerem face àqueles que julgamos ser os mais importantes desafios da gestão municipal presente e futura: a Habitação e o Espaço Público do nosso concelho. Somos de opinião que o ano de 2023 se reveste de características especiais e excecionais e por isso exigiria, também, uma postura excecional em relação aos problemas municipais. O executivo PS deveria abdicar, em 2023, da dívida que anuncia pretender abater e investir essas verbas nos Sineenses, nas empresas de Sines e nas nossas associações, num momento extremamente delicado para a sociedade civil. Pedimos, sem sucesso, um maior apoio da Câmara Municipal aos Sinienses e Portocovenses, pequenas empresas e associações, num ano que se avizinha difícil para todos. Continuamos empenhados e unidos na defesa dos interesses de Sines e da população.”

90% da população mundial adquiriu imunidade contra a covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou que pelo menos 90% da população global adquiriu imunidade contra a covid-19, através de uma infecção ou da vacinação.

A estimativa foi avançada pelo director-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em videoconferência de imprensa.

Ghebreyesus advertiu, no entanto, que “lacunas na vigilância, nos testes, na sequenciação” genética do coronavírus que causa a covid-19 e “na vacinação continuam a criar as condições ideais para o aparecimento de uma nova variante preocupante que pode causar uma mortalidade significativa”.

Dominante no mundo, a variante de preocupação Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2 tem mais de 500 subvariantes, todas muito contagiosas e com mutações genéticas que as tornam capazes de superar mais facilmente as barreiras imunitárias, mas sem causar doença grave, segundo a OMS.

No total, a pandemia da covid-19 fez no mundo 6,6 milhões de mortos e cerca de 640 milhões de infectados, de acordo com as notificações feitas pelos países à OMS, que tem ressalvado que o número real é muito maior, dado que nem sempre os casos são comunicados.

Na última semana foram registadas mais de 8.500 mortes por covid-19, um número que o director-geral da OMS considerou que “não é aceitável após três anos de pandemia”, uma vez que há “ferramentas para prevenir as infecções e salvar vidas”.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo SARS-CoV-2, detectado em 2019 na China e que se espalhou rapidamente pelo mundo, assumindo várias variantes e subvariantes.