Programa do Sines Tall Ships Festival

18077166_1878960445692225_8550838645657488242_o.png.jpg

É já na próxima sexta-feira que começa o RDV 2017 – Sines Tall Ships Festival. A cerimónia de abertura inicia-se às 17h no Palco dos Oceanos, sendo que no mesmo palco entre as 20h e a 1h irá haver concerto e DJ, com Filipe Gonçalves e Dj Nokin. No palco do Castelo irá haver o Concerto da Raquel Tavares pelas 22h e Dj Set – Bailarico Sofisticado a partir da 00h. No dia seguinte, Sábado Dia 29, às 17h teremos a Parada dos tripulantes e as 18h no Castelo a entrega de prémios, sendo que pelas 20h irão iniciar-se Concertos e Djs com Rocky Marsiano & Meu Kamba Sound e depois Dj André Henrique. Domingo, dia 30 na Baía dos Piratas & Palco dos Oceanos: Pelas 12:30, Celebração da Missa, das 20h à 1h teremos o Dj Kamala, sendo que a 00:00 irá haver fogo de artificio. No mesmo dia pelas 00:30, o esperado concerto dos Expensive Soul no Palco do Castelo. O festival termina com um desfile naútico na Segunda, dia 1 de Maio.

Oleoduto Sines – Aveiras teve rombo no Montijo.

Governo-Espera-Baixa-Preco-Combustiveis-Nova-Lei

Foi detectada no Montijo, mais precisamente na zona de Santo Isidro de Pegões, uma rotura no oleoduto que faz a ligação entre Sines e Aveiras de Cima, que resulta de um tentativa de furto. A GNR recebeu uma queixa de um cidadão que alegou que oleoduto estaria a jorrar combustível como consequência de um furo feito no chão. As autoridades deslocaram-se ao local, com a presença de elementos da Protecção da Natureza e das Matérias Perigosas, por parte da GNR, a Corporação Local dos Bombeiros e elementos da CLC – Companhia Logística de Combustíveis, que terá efectuado a contenção da zona afectada e posterior limpeza. Ao que tudo indica as operações da CLC não terão tido um impacto negativo.

Lucros da REN caem 13,7%.

ren7-740x415.jpg

A REN apresentou um recuo do resultado líquido em 2016 de 13,7% para os 100,2 milhões de euros, face aos 116,1 milhões registados em 2015. A REN justifica a queda dos lucros com “os ganhos não recorrentes” registados em 2015, um ano de resultados “extraordinários” devido à venda da participação na Enagás, e com a Contribuição Extraordinária sobre o sector energético que no ano passado ascendeu a 25,9 milhões de euros. A REN aponta ainda a diminuição da remuneração dos ativos do gás natural, ao abrigo do novo quadro regulatório, como um dos fatores que esteve na base da queda dos lucros. Em termos recorrentes, o lucro aumentou 7% para 126,1 milhões de euros. O presidente da energética garante que os resultados ficaram dentro do esperado pela empresa. O EBITDA caiu 2,8% para 476 milhões de euros. Já o custo médio da dívida caiu de 4,1% para 3,2%. A energia renovável representou 57% do consumo de electricidade em 2016, um aumento de 10% em relação ao exercício anterior. As centrais hidroelétricas abasteceram 28% do consumo, face aos 22% registados pelas eólicas e centrais de biomassa.

Comissões de Moradores com Filme e Livro

980comissoes_1_980_2500.jpg

Sines estreia no dia 25 de Abril, às 16h00, no auditório do Centro de Artes de Sines, o filme documentário integrado no projecto “Comissões de Moradores no Concelho de Sines: da Tradição à Modernidade”. Na mesma sessão, será apresentado o livro “Sines na Revolução dos Cravos: a construção da democracia”.

As comissões de moradores foram, no pós-25 de Abril, experiências de democracia nas comunidades. Os seus membros uniram-se, de forma voluntária, para escrever o seu próprio destino. Quando não existia saneamento básico, electrificação, vias de comunicação, espaços de fruição cultural, habitação condigna, foram estes homens e mulheres que, unindo-se, procuraram resolver os seus principais problemas.

Foram ainda as comissões de moradores que procuraram preservar a tradição das comunidades rurais cada vez mais depauperadas, através da realização de actividades tradicionais, como os mastros ou os jogos populares, ou da recolha da poesia popular.

O projecto que se encontra a ser desenvolvido pela Câmara Municipal de Sines no âmbito do Programa Tradições da EDP tem como objectivo assegurar a sobrevivência das tradições populares numa zona que sofreu rápidas e profundas alterações socioeconómicas e registar a forma como as comissões de moradores as transpuseram para a nova realidade emergente e lhe deram continuidade.

O documentário em estreia no dia 25 de Abril foi um projecto coordenado pelo Arquivo Municipal de Sines e pela equipa constituída por Diogo Vilhena e António Campos, com a colaboração do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa.

Reunir esse património imaterial e devolvê-lo à comunidade na forma de um documentário de modo a preservar a memória desses processos é uma das formas de atingir o objectivo, assim como o são a edição de um livro, em parceria com a Universidade Nova de Lisboa, e um extenso programa educativo dirigido à comunidade escolar.

O livro, intitulado “Sines na Revolução dos Cravos: a construção da democracia”, foi coordenado por Raquel Varela e permite ao leitor compreender a história do concelho nos anos da Revolução, quando a democracia estava em construção.

Visões para o futuro de Sines em exposição no CAS

20expos_1_980_2500.jpg

Desde sábado passado que o piso -1 do Centro de Artes de Sines foi transformado numa galeria de propostas para o desenvolvimento urbano de Sines nas próximas décadas.

Ligadas por este fio condutor, vão partilhar as salas do centro duas exposições autónomas e com pontos de partida diferentes.

A primeira, “Sines’Cópio 360º”, com curadoria de Paula Teles (mpt), é baseada em dois documentos – Plano de Mobilidade Urbana Sustentável de Sines e Carta de Qualificação da Imagem e Espaço Público da Cidade – que se pretende que tenham aplicação efectiva (e nalguns casos já estão a tê-la) em intervenções no espaço público da cidade.

“Por entre excertos de escrita e traços de desenho retirados dos estudos de mobilidade e acessibilidade para todos, da carta de qualificação do espaço público e dos projetos em curso para o espaço público, Sines’Cópio dará uma visão 360º da futura cidade de Sines”, lê-se na apresentação da exposição.

A segunda exposição, “Sines, Logística à Beira-Mar”, é o resultado de exercícios mais livres e especulativos, feitos pelos estudantes que participaram no Concurso Prémio Universidades Trienal de Lisboa Millenium bcp, integrado na Trienal de Arquitetura de Lisboa 2016. Neste caso, o enfoque é na conciliação entre a cidade e as componentes industrial e logística de Sines. A curadoria é de Rui Mendes e Marta Labastida.

Após a inauguração, este sábado, dia 22 de abril, às 16h00, a exposição ficará patente ao público até 21 de maio no seguinte horário de abertura: dias úteis, 14h00-20h00; sábados, domingos e feriados: 14h30-20h00.

Exposição Sines: Logística à Beira-Mar

g_sines_logistica_1_980_2500.jpg

Exposição sobre a relação entre a cidade e a componente industrial e logística de Sines. Corresponde a um momento de reunião dos trabalhos académicos desenvolvidos por estudantes e professores de 18 cursos de arquitetura e de arquitetura paisagista, no âmbito do Concurso Prémio Universidades Trienal de Lisboa Millennium bcp. Após apresentação na Trienal de Arquitetura de Lisboa 2016, chega agora ao Centro de Artes de Sines. A Inauguração será no próximo dia 22 de abril, pelas 16h00 e estará acessível nos dias úteis, das 14h00-20h00; e nos sábados, domingos e feriados: entre as 14h30-20h00. Organização: Trienal de Arquitetura de Lisboa com o apoio CM Sines.

Sindicato XXI convoca greves no Porto de Sines

Com o passar dos anos, a movimentação de contentores no porto de Sines cresceu a um ritmo alucinante desde do inicio desta década e uma dos motivos apontados tem sido a paz laboral. Terá o crescimento rápido sem o devido acompanhamento desenvolvido uma situação complicada?

porto-de-sines-1024x575

O Sindicato XXI, ( Independente, sem filiações com as centrais sindicais), enviou à PSA Sines, dois pré-avisos de greve, um visando a recusa ao trabalho suplementar durante 1 ano e outro visando a paragem parcial de 2 horas no final de cada turno entre 29 de Abril e 13 de Maio. Na origem destes dois pré-avisos está o conflito entre o Sindicato XXI e a PSA Sines, sobre o novo horário de trabalho, regras sobre trabalho suplementar e outras situações pendentes. O Sindicato reconheceu o impasse nas negociações e convocou um plenário de trabalhadores, tendo sido mandatados pelos mesmos para exercerem os pré-avisos e tentarem a negociação. A entrada de novos trabalhadores desde do inicio do ano, ao que tudo indica, seria para a constituição de um turno adicional, o que tal não veio a acontecer. Entretanto, o Sindicato XXI reuniu com a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, onde terá pressionado para uma solução definitiva dos problemas. O Sindicato XXI anunciou também a formalização na adesão à Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores Portuários, que possui todos os outros sindicatos do sector com a excepção do de Lisboa.