Alinhamento completo de concertos do FMM Sines 2015

SalifKeita

 

O 17.º FMM Sines – Festival Músicas do Mundo é a edição de Salif Keita, Ibibio Sound Machine, Ana Tijoux, Orlando Julius, Thea Hjelmeland, Niladri Kumar, Toumani & Sidiki Diabaté, Dele Sosimi e muitos outros projetos que representam a diversidade da música popular que se faz hoje no mundo. O festival realiza-se de 17 a 25 de julho, em Porto Covo e Sines, e será uma experiência de música ao vivo com perto de 50 espetáculos de artistas de todos os géneros e geografias, muitos deles em estreia em Portugal.

A edição de 2015 é mais um passo no caminho que o FMM Sines tem vindo a percorrer ao longo dos anos: mais do que um festival que persegue uma ideia mitificada de músicas tradicionais, um festival que quer mostrar a música real que se faz e ouve a cada momento no mundo.

Este programa cumpre-se de três formas: atenção às músicas urbanas, porque o mundo é cada vez mais urbano; atenção às misturas, aos cruzamentos e às miscigenações, porque o mundo é cada vez menos étnica e culturalmente puro e os artistas estão cada vez mais em contacto entre si; contributo para divulgar as expressões minoritárias ou ameaçadas, que também são músicas de hoje, mesmo se radicadas em tradições seculares.

Grande música africana de várias gerações

Pela riqueza da música deste continente, cada edição do FMM Sines tem dentro de si um festival de música de África. A edição de 2015 não será exceção, com a presença de alguns dos melhores músicos africanos de várias gerações. Entre os clássicos teremos Salif Keita, voz lendária da cultura mandiga, Orlando Julius, pioneiro do afrobeat (que virá acompanhado pelos britânicos The Heliocentrics), e Toumani Diabaté, cujo projeto em conjunto com o filho Sidiki venceu a categoria “Melhor Grupo” dos Songlines Music Awards 2015. Também estará presente o nigeriano Dele Sosimi, que faz a ligação entre a história do afrobeat (tocou com Fela Kuti) e a sua expressão contemporânea. Songhoy Blues, relevação do Mali, e o projeto Vaudou Game, do togolês Peter Solo, são exemplos de novos músicos de África que estão a chegar aos palcos internacionais. Élida Almeida, fulgurante revelação da música cabo-verdiana, e Aline Frazão, cantautora angolana e cosmopolita, são jovens, falam português e estão prontas para conquistar o mundo.

Força feminina na música urbana e global

O hip hop enquanto género que segue de muito perto os movimentos da cultura contemporânea estará representado em Sines por Ana Tijoux, a MC chilena que é uma das referências do hip hop da América Latina, e Capicua, poeta hip hop portuguesa. A presença feminina marca também a nova geração de música de dança global, que terá em Sines dois dos seus grupos mais estimulantes: Ibibio Sound Machine, coletivo multinacional liderado pela nigeriana Eno Williams, prémio “Revelação” nos Songlines Music Awards 2015, e Alo Wala, projeto da cantora e ativista indo-americana Shivani Ahlowalia.

Noites longas ao ritmo do mundo

Alguns dos músicos mais criativos da atualidade situam-se no universo da música de dança. Dos sul-coreanos Idiotape ao argentino Chancha Vía Circuito, passando pelo projeto Awesome Tapes From Africa, o FMM Sines 2015 irá oferecer noites longas para recordar. Uma referência especial para Blacksea Não Maya & DJ Marfox, quatro DJs portugueses com raízes em São Tomé e Príncipe e uma projeção internacional impressionante. Uma nota também para a presença de Simply Rockers Sound System, projeto inspirado nos sound systems jamaicanos.

Entre a folk e o rock, a tradição transformada

As músicas tradicionais de várias partes do mundo apresentam-se no FMM Sines em projetos que as transformam e renovam: Alif leva as músicas do mundo árabe ao encontro do rock, Trans-Aeolian Transmission traz a música dos uigures de Xinjiang para o universo do rock progressivo eYat-Kha funde o rock com canto gutural de Tuva. No caso do quarteto Iva Nova, há um ímpeto punk a permear elementos de folclore russo. Estamos no campo da folk e das suas fusões, sempre singulares para cada um dos vários grupos programados: Moriarty (França / EUA), Esko Järvelä Epic Male Band (Finlândia), Sagapool (Canadá), Shanren (China). Os mexicanos Troker encontram o seu lugar no cruzamento entre o jazz e o rock e o projeto franco-etíope uKanDanZ faz do ethio-jazz o ponto de partida para digressões rock. Com a orquestra colombiana La-33dança-se salsa com influências de rock, jazz e reggae.

Nova vida de estilos musicais com história

Sem perder abertura à modernidade, as ligações a estilos ou tradições musicais específicas são mais claras noutros projetos do festival. Os italianosCanzionere Grecanico Salentino são um expoente na renovação da “pizzica” da região da Apúlia e Cuncordu e Tenore de Orosei são um dos agrupamentos de canto polifónico mais importantes da Sardenha. Em Forabandit fundem-se duas tradições de poesia trovadoresca: uma da Occitânia e outra da Anatólia. Ricardo Ribeiro será o embaixador do fado nesta edição do FMM e Janita Salomé, que terá com convidado o Coral Atlântico de Sines, parte do Alentejo para outras paragens. Dona Onete, que gravou o primeiro disco aos 72 anos, é a diva do carimbó chamegado do Pará.

Arte individual, arte orquestral

A música enquanto expressão de uma criatividade individual também estará presente no FMM Sines. Em vários casos, o concerto é a história da relação entre músico e instrumento: Niladri Kumar (Índia) com o sitar, Ernst Reijseger (Holanda) com o violoncelo, Paolo Angeli (Sardenha) com a guitarra preparada. Guillaume Perret & The Electric Epic (França) gira em torno do som do saxofone e Thea Hjelmeland (Noruega) é uma aventura folk-pop sustentada nos poderes de uma voz e de instrumentos de cordas antigos. Soema Montenegro (Argentina), Bruno Pernadas(Portugal), Gecko Turner (Extremadura) e Russell Joslin (Reino Unido) são outros artistas programados para o FMM Sines 2015 cuja visão da música é muito pessoal. Teremos também no FMM Sines formações em que o resultado depende do bom funcionamento de uma máquina orquestral: a big band belga Flat Earth Society, herdeira de Franz Zappa, e a orquestra japonesa Pascals, herdeira de Pascal Comelade.

Da música para as outras artes

Ateliês e espetáculos para crianças, masterclasses, cinema, workshops, conversas com músicos e escritores e feira do disco e do livro são algumas das iniciativas paralelas do FMM Sines 2015, a divulgar brevemente.

Concertos por dias e palcos disponível em http://horariosfestivais.com/festival-edicao/fmm-sines-musicas-do-mundo-2015/

Bilhetes

Os bilhetes estão já à venda na plataforma BilheteiraOnline.pt (online e circuito nacional de lojas). Mais perto do festival estarão à venda nos locais habituais em Sines. Os bilhetes para cada noite de concertos no Castelo têm os seguintes preços: 22 de julho – 10 euros, 23 de julho – 10 euros, 24 de julho – 15 euros e 25 de julho – 15 euros. O custo do passe para as quatro noites de música no Castelo é de 40 euros. Em Porto Covo, no palco da Avenida da Praia, no Largo Poeta Bocage e no concerto da tarde no Castelo a entrada é livre. Os bilhetes para os concertos no auditório do Centro de Artes custam 5 euros (venda exclusiva no Centro).

Fonte: Press Release FMM Sines e HorarioFestivais.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s