Cinema do Mundo no Centro de Artes de Sines

 

tumblr_ncwg8ughVv1qat99uo5_1280

O novo ano no Centro de Artes de Sines tem início, no auditório, com cinema do mundo: “Que Horas Ela Volta”, de Anna Muylaert (Brasil), no dia 7 de Janeiro, “Minha Mãe”, de Nanni Moretti (Itália), no dia 21 de Janeiro, e “Os Refugiados de Barrancos”, de Producciones Mórrimer (Espanha), no dia 27 de Janeiro.

“Que Horas Ela Volta”

Resumo: A pernambucana Val (Regina Casé) se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) lhe telefona, pedindo ajuda para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.

“Minha Mãe”

Resumo: Margherita está a passar por uma grave crise existencial. Ela é uma realizadora de sucesso que está a fazer um filme sobre os trabalhadores de uma fábrica que foi vendida a uma multinacional. O gerente dessa fábrica é interpretado pelo famoso actor americano Barry Huggins. Ao mesmo tempo, com o irmão Giovanni, ela cuida da mãe em fase terminal, uma situação inevitável que Margherita não consegue aceitar.

“Os Refugiados de Barrancos”

Resumo: Os refugiados de Barrancos” é o título do documentário realizado pela Asociación Cultural Mórrimer (Llerena, Badajoz), na qual colaboraram os próprios intervenientes, jornalistas e escritores espanhóis e portugueses.

No total são 18 intervenções, da qual se destacam os testemunhos dos 10 refugiados que viveram os acontecimentos, da antropóloga Dulce Simões, do político e historiador Fernando Rosas, dos historiadores espanhóis Francisco Espinosa y José María Lama e dos jornalistas Paulo Barriga (português) e Alonso de la Torre (espanhol).

O documentário conta a história dos Campos de Concentração da Coitadinhas e de Russianas, em Barrancos, destinados a acolher e a proteger os espanhóis que fugiam da repressão franquista em Setembro de 1936, inícios da guerra civil espanhola.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s