Infraestruturas de Portugal defende traçado para mercadorias escolhido entre Sines e Elvas.

raquete-20.5.2010-dario_ds93185

Segundo António Laranjo, a Infraestruturas de Portugal (IP) coordenou a elaboração de “todos os estudos que permitiram à APA [Agência Portuguesa do Ambiente] fazer a avaliação que lhe compete e decidir” sobre o melhor traçado para o subtroço Évora-Évora-Norte da futura ligação ferroviária.

O dirigente da IP, que falou numa audição da comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, em Lisboa, admitiu que a escolha recaiu numa solução próxima da zona urbana, mas as preocupações estão na minimização dos impactos para “as pessoas”.

Numa apresentação inicial, Carlos Fernandes, vice-presidente da empresa gestora das infraestruturas rodoferroviárias, explicou que a construção do corredor ferroviário entre o porto de Sines e a fronteira espanhola (Caia) tem de ficar concluída até 2030.

A nova ligação permitirá reduzir o actual transporte de mercadorias em cerca de 140 quilómetros de extensão e poupar três horas e meia gastos no trajecto, passando de 17 comboios com 400 metros para até 30 comboios com 750 metros, diariamente, retirando das estradas o equivalente a 850 camiões.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s