UGT acusa CGTP de “pecar por ausência” no compromisso sobre retoma

Screenshot_20200512-171416_Chrome

Somos seis parceiros sociais e há um que pecou por ausência”, começou por dizer Carlos Silva na cerimónia de assinatura da declaração de compromisso dos parceiros sociais para a retoma económica, que contou com as quatro confederações patronais (CIPCCPCTP e CAP) e com a UGT, tendo a CGTP ficado de fora. “Não temos foguetórios na Alameda, mas temos uma assinatura que vale por milhares de trabalhadores portugueses”, continuou o líder da UGT, numa referência às comemorações do 1.º de Maio promovidas pela CGTP. Carlos Silva referiu que o primeiro acordo firmado na Concertação Social apenas contou com a assinatura da UGT para sublinhar depois que “lamentavelmente 40 anos passados, continua a ser a UGT a figura determinante por parte dos trabalhadores para que haja Concertação Social”. A UGT, as confederações patronais e o Governo assinaram hoje uma declaração de compromisso sobre as condições de segurança para a reabertura da actividade económica no âmbito da pandemia covid-19. A CGTP defendeu em comunicado divulgado hoje que o compromisso para a retoma económica não reflecte “a real situação da acentuação das desigualdades” nem espelha a realidade de milhões de trabalhadores.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s