Utentes do Litoral Alentejano queixam-se das condições do SNS na região.

Os utentes do Litoral Alentejano queixaram-se à Unidade de Saúde Local (USLLA) das condições do Serviço Nacional de Saúde naquela região, informou a Comissão de Utentes, numa nota enviada à agência Lusa. A “falta de profissionais de saúde”, as “extensões de saúde degradadas” e os “tempos máximos de resposta garantidos” superiores ao previsto pela lei foram os principais temas abordados numa reunião mantida pela coordenação de utentes com o Conselho de Administração (CA) da USLLA. A coordenação das Comissões de Utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) fez notar que faltam “médicos, enfermeiros, assistentes técnicos, assistentes operacionais e técnicos de diagnóstico e terapêutica”, mas também que o CA “não se comprometeu com datas nem com melhorias do SNS para a região”. Os utentes exigem, entre outras reivindicações, “médico e enfermeiro de família para todos”, a redução “de 1.900 para 1.500 utentes por cada médico”, a colocação de “médico e enfermeiro, no mínimo, uma vez por semana” nas diversas extensões de saúde, a contratação de todos os profissionais em falta na região e o “fim da contratação por empresas de trabalho temporário”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s