Porto de Sines vai apostar nos granéis sólidos e em captar mais carga de hinterland.

Segundo a Revista Cargo, o painel ‘A Importância do Hub Portuário na Competitividade da Economia Portuguesa’ marcou o segundo dia do 14º Congresso da ADFERSIT – José Luís Cacho foi um dos participantes, e, a sua intervenção focou-se na análise dos novos desafios do Porto de Sines, que, ressalvou, se encontra em mudança de ciclo. O fim da vertente energética tradicional força o porto a focar-se em novas cargas em buscar novos modelos de sustentabilidade para que o crescimento se prolongue no tempo. O agro-negócio está entre as prioridades, assim como a captação de mais «carga de hinterland». “Hoje, Sines vive um desafio muito importante. Não nos podemos esquecer que Sines é um porto que nasceu com as cargas energéticas e com o petróleo e com o carvão para as centrais termoeléctricas, e, agora, com o processo de descarbonização da economia, torna-se um grave problema para Sines na perspectiva de operacionalidade e sustentabilidade do porto, dado que essas cargas tinham um peso significativo na estrutura do porto. Neste contexto é importante perceber a importância do desenvolvimento da carga contentorizada em Sines, que está assegurado para os próximos anos. Diria que estamos num fim de ciclo de energia e a caminhar para um novo ciclo, associado a novas cargas” contextualizou o presidente da APS.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s