Contentores crescem 31,38 mil TEU com “influência decisiva” do Porto de Sines.

Segundo avança a “Cargo”, os dois primeiros meses de 2021, os portos do Continente movimentaram 5,4 milhões de toneladas no segmento dos Contentores, um registo que espelhou um crescimento homólogo de +10,8%. Em termos de TEU, este acréscimo fixou-se nos +31,38 mil TEU entre Janeiro e Fevereiro, traduzindo-se numa variação positiva de 7,2% face ao mesmo período de 2020. O Porto de Sines foi decisivo para este resultado.

Assim, explicou a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) no seu relatório – que compila e analisa os dados da movimentação de carga nos dois primeiros meses do ano – esta subida de 7,2% em termos de TEU contou com a «decisiva influência do Porto de Sines». A infra-estrutura portuária alentejana denotou um aumento de +41,36 mil TEU (+17%) face ao período homólogo, para um volume que representa 60,9% do total.

Para além de do Porto de Sines, apenas o Porto de Setúbal registou uma variação positiva no volume de TEU movimentado neste dois primeiros meses do ano, observando um acréscimo de +1,7 mil TEU (+8,6%). Das variações negativas assinaladas nos restantes portos, «a mais expressiva regista-se em Lisboa, com -6,5 mil TEU (-11,1%), seguida por Leixões, com -4,7 mil TEU (-4,2%) e Figueira da Foz, com -442 TEU (-15,6%)».

No que concerne ao movimento de contentores registado no Porto de Sines, importa sublinhar «a importância do tráfego de transhipment, que representou uma quota de 71,9% do volume total do porto e 43,7% do total dos portos do Continente, após registo de um acréscimo homólogo de +28,7%», explicita a AMT no seu relatório. No período em análise o comportamento positivo do tráfego de transhipment não foi acompanhado pelo tráfego com o hinterland, que, pela primeira vez desde 2012, observa um decréscimo face ao período homólogo do ano anterior, ao recuar –5,1%.

A quota atingida pelo Porto de Sines neste período Janeiro-Fevereiro ultrapassa a homóloga de 2020 em +5,1 pontos percentuais (pp), mas encontra–se a –1,1 pp à sua quota máxima registada no ano de 2017. O movimento de TEU efectuado no Porto de Leixões confere–lhe a segunda posição, representando 22,9% do total (–2,7 pp), seguindo–se Lisboa com 11,2% (–2,3 pp), Setúbal com 4,6% e a Figueira da Foz com 0,5%.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s