Música e Património no Terras sem Sombra em Sines.

O Festival Terras sem Sombra apresenta a 21 de agosto, às 21h30, no Centro de Artes de Sines, um concerto pelos clarinetistas checos do ensemble Clarinet Factory. Este ano sob o signo do mar, as propostas do festival para Sines incluem ainda uma actividade em torno da pesca e do património cultural a ela associado, a 21 de agosto, e uma acção de salvaguarda da biodiversidade que incide na riqueza do pescado da região, a 22 de agosto.

O quarteto de clarinete e voz Clarinet Factory, formado por Jindřich Pavliš, Luděk Boura, Petr Valášek e Vojtěch Nýdl, move-se nas fronteiras entre a música clássica e a contemporânea, o jazz, a world music, a música electrónica e os projectos interdisciplinares de marcado carácter inovador, num percurso singular que lhe tem granjeado reconhecimento internacional e a presença nas mais importantes salas da Europa.

A proposta musical que o Clarinet Factory traz ao Alentejo abrange um repertório que, nas palavras de Jindřich Pavliš, “narra uma história imaginária em torno da eterna procura que caracteriza o nosso percurso, trazendo a lume um pouco do que vislumbrámos e do que nos tocou, de um modo mais penetrante, ao longo das viagens do ensemble pelas quatro partidas do mundo”.

“Amamos a música popular da Chéquia e da Morávia. Amamos Smetana e Dvořák pela sua paixão, Debussy pelo seu colorido, e Bach pela sua estrutura intemporal. Amamos Stravinsky, Janáček e Messiaen pelas suas experiências com os sons da natureza e da palavra e Gershwin pelo seu encontro com o jazz”.

Dessa paixão resulta um encontro original de géneros, estilos e autores que promete cativar e entusiasmar a audiência.

O concerto tem entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete.

Património e salvaguarda da biodiversidade

No dia 21 de agosto, às 15h00, a anteceder a viagem musical ao sabor da corrente do Clarinet Factory, o Festival Terras sem Sombra lança um olhar ao mar. A ação de património, sob a orientação, entre outros peritos locais, de Ricardo Estevam Pereira (arquiteto) e Francisco Chainho (pescador), traça uma panorâmica da pesca. O foco da iniciativa incide no conhecimento das artes e embarcações tradicionais de pesca utilizadas ao longo da costa siniense. Ponto de encontro no Centro de Artes de Sines.

No domingo, 22 de agosto, a partir das 9h30, o mar volta a estar no centro das atenções. A acção de Salvaguarda da Biodiversidade, orientada por especialistas do Laboratório de Ciências do Mar da Universidade de Évora, incide sobre os peixes, moluscos e crustáceos extraídos na região de Sines, com vista a conhecer o seu nome vulgar, modo de vida e de reprodução, distribuição e abundância, métodos de captura e interesse comercial. Dirigem esta etapa do Terras sem Sombra os biólogos João Castro, Teresa Cruz, Teresa Silva, Susana Celestino, Cristina Espírito Santo, Paula Coelho e André Costa. Ponto de encontro no Laboratório de Ciências do Mar da Universidade de Évora (Avenida Vasco da Gama).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s