Galp “entende” protesto da Climáximo mas diz estar “a fazer o caminho para a descarbonização”

Segundo avança o Expresso, a Galp garantiu que a refinaria de Sines faz parte dos planos da empresa para a descarbonização energética e disse entender a posição do colectivo Climáximo, que promoveu ontem um protesto junto da unidade industrial.

“Respeitamos o direito ao protesto e entendemos a posição dos manifestantes, que acreditam que mais acções são necessárias no movimento da descarbonização”, avançou fonte da administração da Galp, contactada pela agência Lusa.

A mesma fonte oficial adiantou que o protesto da Climáximo, que juntou ontem cerca de 100 manifestantes junto aos vários acessos da unidade, numa acção não violenta de desobediência civil e bloqueio, “não afectou a actividade da refinaria de Sines”.

“A Galp está a fazer o caminho para a descarbonização da sua actividade e para posicionar a empresa e o país na vanguarda da transição energética”, acrescentou.

Segundo a empresa, a refinaria de Sines “fará parte desta transformação, transitando ao longo do tempo para um Parque de Energia Verde, com novas soluções sustentáveis, como o hidrogénio verde e os biocombustíveis”.

Foto: José Carlos Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s