Federação de Comércio Brasileira defende potencial do Alentejo para investimento.

O presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil disse que o Alentejo tem grande potencial para investimento brasileiro, quer no agronegócio quer no turismo. “Existe hoje uma acção real entre o Estado do Ceará e Fortaleza (Brasil), e Sines” e “existem já uma série de iniciativas no sentido de fomentar a actividade económica” entre os dois territórios, afirmou Armando Abreu no encerramento da terceira edição do “Portugal Negócios & Investimentos”, dedicada à apresentação da Região do Alentejo, que decorreu de forma virtual. “Mas o Alentejo não é só Sines”, e “existe todo um outro Alentejo que temos de potencializar, seja no agronegócio, seja na parte do turismo”, acrescentou. O “Portugal – Negócios & Investimentos” é um projecto da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil (FCPCB), que conta com o apoio da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e que contempla um ciclo de eventos online, a decorrer desde 2021, que nesta sua terceira edição contou com a participação do embaixador de Portugal em Brasília, Luis Faro Ramos.

O embaixador português, que manifestou total disponibilidade da embaixada para a “facilitação” de contactos e negócios entre os dois os dois países foi, aliás, o primeiro que realçou na sua intervenção que o “Alentejo não é só Sines”

Isto num debate muito centrado nas oportunidades e na importância estratégica de Sines para o Brasil, nomeadamente por causa do seu porto.

“Vejo o agronegócio e a parte do turismo como os dois principais setores capazes e criarem um intercâmbio muito forte” entre empresários brasileiros e portugueses, concretizou depois Armando Abreu.

Já no final, do webinar, o presidente da FCPCB foi mais longe, e salientou que Sines “acaba por estar também um pouco na moda no Alentejo, como o próprio Alqueva”.

Porém, na sua opinião, é no agronegócio e no turismo do Alentejo que há várias oportunidades para captar investimento de empresário brasileiros com experiência nos dois setores, alguns que até já vivem em Portugal e outros que continuam no Brasil, admitiu.

Lembrando que “devido à situação económica e política que o Brasil vive existem muitos brasileiros interessados em investir fora” do seu país e quando decidem fazê-lo “é óbvio que o primeiro fator de aglutinação é a língua”, frisou.

Por isso, defendeu: “acho que existe uma grande oportunidade, desde que as oportunidades de negócios sejam apresentadas devidamente a alguns empresários brasileiros, de trazer investimento para Portugal”, na área do agronegócio.

“Do mesmo modo, e até potencializado por estes dois anos de Covid-19, por um desejo das pessoas de terem acesso a um turismo mais calmo e mais misturado com a natureza e com a quantidade de investidores em termos turísticos que existem no Brasil, eu vejo também uma excelente oportunidade de empresários brasileiros investirem em turismo na região alentejana”, acrescentou.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s