Comunicações. Preços em Portugal são 20% mais caros do que a média da UE.

717388.png

Os preços das comunicações em Portugal são 20% mais elevados do que a média da União Europeia, enquanto os valores da internet são 31% mais caros. O alerta é dado por uma análise da Autoridade da Concorrência (AdC) que chama ainda a atenção para a reduzida mobilidade dos consumidores e elevado número de reclamações.

“A actual política de fidelização reduz a fracção de consumidores disponíveis para mudar de operador, reduzindo o efeito disciplinador sobre os preços de mercado, inovação e qualidade de serviço e, em resultado, os incentivos à concorrência, o que deixa os consumidores mais vulneráveis ao exercício de poder de mercado”, refere a AdC.

E os alertas não ficam por aqui ao garantir que a “fraca mobilidade promovida pela fidelização é agravada pela prática generalizada de ‘refidelizações’, que ocorre em mais de 48% dos contratos com fidelização, e por outros factores como a complexidade do processo de denúncia contratual e alguma falta de informação transparente, que lesam a dinâmica concorrencial”.

MeteoAlentejo já dá tempo em Sines.

meteo2.png

O projecto MeteoAlentejo já instalou, uma Estação Meteorológica Profissional em Sines.

Esta primeira estação da rede local no Litoral, surge em parceria com um habitante que se disponibilizou para acolher a mesma.

O MeteoAlentejo tem, 11 estações meteorológicas, que se situam em zonas do interior do Alentejo.

Luís Mestre, coordenador do projecto refere que o “objectivo é continuar a alargar a rede”. Neste momento, estão a ser realizadas negociações para expandir o projecto para expandir o projecto para os distritos de Évora e Portalegre.

Há oito anos a dar o tempo, “o Meteoalnetejo tem tido um balanço muito positivo”, salienta o coordenador.

Costa afasta compensação de encerramento da Central de Sines.

naom_5ddc3e6d08852

A posição de António Costa foi transmitida ontem no debate quinzenal, no parlamento, em resposta a questões formuladas pelo deputado do PEV José Luís Ferreira, que também questionou o líder do executivo sobre que medidas tem previstas para os cerca de 600 trabalhadores destas centrais, “alguns dos quais com vínculos precários”.

Depois de José Luís Ferreira salientar que o Estado, do ponto de vista contratual, em nada está obrigado a compensar a EDP pelo encerramento da sua central a carvão – já que o contrato finda em 2021 -, o primeiro-ministro deixou então uma garantia.

“Não haverá qualquer compensação pelo encerramento da central de Sines. Não há lugar a qualquer compensação”, frisou.

Já em relação aos trabalhadores da central, o primeiro-ministro referiu que está “a ser desenvolvido pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional um projecto financiado pelo fundo ambiental tendo em vista estudar as necessidades de requalificação“.

Foto: © Reuters

Requalificação da Rua Marquês de Pombal teve inicio.

980rmp2_1_980_2500.jpg

As obras de requalificação da Rua Marquês de Pombal, em Sines, já estão a decorrer.

Um dos principais eixos de circulação da cidade, a rua encontra-se descaracterizada e pouco funcional para quem a utiliza.

A operação agora iniciada tem como principal objectivo dar mais condições de comodidade e segurança a quem anda a pé, mas também criar um percurso coerente para o fluxo automóvel e dar um impulso à função comercial.

Os novos percursos pedonais serão mais amplos e em pavimento confortável, durável e estável, acessível a todas as pessoas, incluindo pessoas com mobilidade reduzida.

A continuidade dos percursos será garantida pelo reperfilamento da rua “à cota zero”.

Os sentidos de trânsito serão alterados para sentido único e serão adoptadas medidas que limitem a velocidade para, no máximo, 30km/h.

Na organização dos estacionamentos, serão privilegiados os lugares para pessoas com mobilidade reduzida e para cargas e descargas.

A imagem da zona será uniformizada através de novos pavimentos, mas também de novo mobiliário urbano, árvores e floreiras.

Além da requalificação à superfície, serão renovadas todas as infraestruturas enterradas: água, esgotos, gás, eletricidade e telecomunicações.

A empreitada tem um prazo de execução contratual de oito meses, condicionado por factores imprevisíveis como as condições meteorológicas.

Porto de Sines realizou exercício pioneiro com Gás Natural.

Fotor_157597244551421.jpg

Numa acção conjunta entre o Porto de Sines, a APS – Administração dos Portos de Sines e do Algarve e a REN Atlântico, concessionária do terminal especializado de Gás Natural Liquefeito (GNL), foi realizado o primeiro treino prático com fogo real, envolvendo gás natural liquefeito.

Durante o treino foram inflamados cerca de 3 metros cúbicos de gás natural liquefeito, em obstáculo do tipo “pool fire”, correspondentes a cerca de 1800 metros cúbicos de gás natural na sua forma gasosa, o que permitiu treinar técnicas de contenção e dispersão de pluma, controlo de vaporização e extinção de incêndio.

O projecto de estabelecer um parque de treinos específico para este produto tem vindo a ser trabalhado entre a autoridade portuária e a concessionária, com o intuito de treinar os first responders de ambas as entidades em ocorrências que envolvam derrames e inflamação de GNL, culminando agora na realização de um exercício que antes não era possível na Península Ibérica.

Recorde-se que, no Porto de Sines está localizado o único terminal de gás natural do país, que actualmente é responsável pelo fornecimento de cerca de 90% das necessidades nacionais, assumindo-se como uma alternativa bastante viável ao gasoduto terrestre, que liga a Argélia ao velho continente.

Este tipo de exercícios são essenciais para manter um adequado nível de treino das equipas de segurança e proteção, no âmbito do Plano de Emergência do Porto de Sines, garantindo uma pronta resposta a eventuais situações de emergência.

Porto de Sines arranca com projecto ‘A pesca por um mar sem lixo’

52aca9a396e95f5f9e8cc66b02b46275_L.jpg

O projecto “A pesca por um mar sem lixo” arrancou dia 4 no Porto de Sines, com o objectivo de reduzir os resíduos no mar, através do apoio à adopção de boas práticas ambientais por parte dos pescadores, promovendo a valorização e reciclagem desses resíduos.

O projecto conta, no arranque, com a adesão de 36 embarcações e tem como produtores parceiros a Associação dos Armadores de Pesca do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, a Cooperativa de Pesca Geral do Cenyro (OPCentro), a Cooperativa de Armadores de Pesca Artesanalpesca, a Sesibal Coop Pesca e a Vianapesca OP – Cooperativa de Produtores de Peixe de Viana do Castelo.

São ainda parceiros locais do projeto o município de Sines, a AMBILITAL e a FOR – MAR.

“A pesca por um mar sem lixo” é uma iniciativa do Ministério do Mar que está a ser desenvolvida pela Docapesca em parceria com a APLM – Associação Portuguesa do Lixo Marinho.

O projecto já foi também implementado em Peniche, Ilha da Culatra, Aveiro, Figueira da Foz, Póvoa de Varzim, Sesimbra, Setúbal, Matosinhos, Sagres, Rio Arade, Quarteira, Olhão e Nazaré.

Ao promover a recolha selectiva dos resíduos gerados a bordo e capturados nas artes de pesca e disponibilizando as infraestruturas adequadas para a sua recepção em terra, este projecto, vem unir pescadores e portos na melhoria das condições ambientais da zona costeira portuguesa e na preservação dos ecossistemas marinhos.

Kickboxing: Marco Tyson vence Título Europeu.

980kick1_1_980_2500.jpg

Marco Tyson conquistou o título europeu de profissionais -67kg, tornando-se campeão europeu WKU 2019 neste escalão da modalidade de kickboxing.

O título do atleta de Sines resultou da vitória sobre o lutador espanhol Rafa Diaz no DFC 27 – Dynamite Fighting Championship Premium, realizado a 30 de novembro no Pavilhão Galp Sul, em Vila Nova de Santo André.

A equipa de Marco Tyson, a Top Team L.A., esteve presente na competição com 12 atletas, conseguindo nove vitórias, um empate e duas derrotas.