PSA Sines dá novo passo no projecto de ampliação do Terminal XXI.

Segundo avança a revista Cargo, a concessionária PSA Sines, que opera o Terminal XXI do Porto de Sines, lançou esta Segunda-feira (dia 18 de Outubro), o concurso com vista à expansão do parque de contentores da infra-estrutura, que lidera o movimento nacional de carga contentorizada.

A informação está plasmada num anúncio de procedimento (n.º 13065/2021) publicada em Diário da República, no segmento de ‘Contratos Públicos’, estando em causa a «expansão da área de parqueamento de contentores do Terminal XXI – Sines, através da pavimentação e infra-estruturação de uma nova plataforma (B) sob aterros em avanço ao mar». O prazo para a duração dos trabalhos está fixado em cerca de um ano (360 dias, mais especificamente). O investimento estipulado ronda os 12,85 milhões de euros.

Recorde-se que o projecto de ampliação do Terminal de Contentores de Sines, operado pela PSA Sines, nasceu de um acordo entre a operadora PSA e a administração portuária APS, em Outubro de 2019, totalizando um investimento de mais de 650 milhões de euros. Por via deste investimento, a infra-estrutura passará a deter uma frente de cais de 1.950 metros (actualmente 1.040 m), repartidos numa frente de 1.750 metros e noutra de 200 metros, possibilitando a atracação simultânea de quatro navios porta-contentores de última geração; o contrato permitirá a instalação de mais 9 gruas super post-panamax (total passará a ser 19), 30 pórticos de parque e equipamentos transportadores, a ampliação da área de armazenagem dos actuais 42 para 60 hectares e o aumento da capacidade dos actuais 2,3 milhões para 4,1 milhões de TEU.

1300 atletas correm até Porto Covo no domingo.

O Trail da Costa Vicentina 2021 realiza-se no dia 24 de outubro (domingo), com partida em Santiago do Cacém e chegada em Porto Covo, no Largo Marquês de Pombal. Estão inscritos 1300 atletas, um recorde da competição.Uma organização da GanharDestak, com o apoio da Câmara Municipal de Santiago do Cacém e da Câmara Municipal de Sines, o Trail será percorrido pelo trilho/caminho pedestre entre Santiago do Cacém e Porto Covo, num percurso com a distância de 57 km, com partida de Santiago às 8h30.Haverá uma distância intermédia de 25 km, entre o Cercal e Porto Covo (com partida do Cercal às 10h00) e uma distância mais curta num percurso de 15 km entre a Sonega e Porto Covo, pelo mesmo caminho (com partida da Sonega às 10h30).O Trail Longo é etapa do Circuito Nacional de Trail Ultra e o Trail Médio é etapa do Circuito Nacional de Trail.No mesmo dia, realiza-se uma caminhada num percurso circular no Cercal do Alentejo, com uma distância de 11 km.

FMM Sines 2022 de 22 a 30 de Julho.

A 22.ª edição do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo está marcada para o período de 22 a 30 de julho de 2022.  De 22 a 24 de julho (sexta-feira a domingo), o festival estará sedeado na aldeia de Porto Covo. De 25 de julho (segunda-feira) a 30 de julho (sábado), o festival decorre na cidade de Sines. Organizado pela Câmara Municipal de Sines desde 1999, o FMM Sines é um festival de serviço público cultural. Adoptando “Música com espírito de aventura” como assinatura, define-se por uma programação diversificada apresentada em cenários históricos e urbanos de grande beleza e autenticidade, próximos de uma costa com paisagem protegida. Ao longo da sua história, realizaram-se 640 concertos, em que actuaram mais de 3400 músicos oriundos de mais de 100 países e regiões. Em 2017, recebeu o EFFE Award, atribuído pela European Festivals Association a “seis dos mais influentes festivais europeus”, tendo o júri destacado o papel deste festival na promoção de “uma diversidade real – não uma diversidade cosmética” e por constituir uma “celebração da arte, da vida e do espírito cosmopolita”.

Porto de Sines recebeu Embaixadas do Sudoeste Asiático.

No âmbito da presidência da Indonésia na Associação de Nações do Sudoeste Asiático (ASEAN), o Porto de Sines recebeu ontem uma visita composta por Embaixadoras e outros diplomatas da Indonésia, Filipinas e Tailândia.

O objectivo da visita foi dar a conhecer os mais recentes projectos de desenvolvimento do porto e da sua plataforma logística, por forma a promover a sua utilização pelas comunidades destes países, radicadas em Portugal.

Durante o evento foi abordada a importância e potencialidades do Porto de Sines para a economia portuguesa, bem como o seu papel como relevante hub geoestratégico internacional. Em simultâneo,  foi realçado o interesse das relações de cooperação com os portos dos países ASEAN.

A promoção internacional do Porto de Sines é uma das grandes apostas da autoridade portuária, sendo que estas iniciativas revelam ser de grande importância pois, no exercício das suas funções, representantes destas Embaixadas poderão ser um veiculo de difusão de informação, contribuindo para o reforço da ligação entre o Porto de Sines e os países do Sudoeste Asiático.

Galp: paragem na unidade de destilação atmosférica de Sines sem impacto em Portugal

No início desta semana, segundo avança o Jornal de Negócios, “ocorreu um evento não planeado numa das fornalhas da unidade de destilação atmosférica (DAT) de Sines” da Galp, mas sem impacto no abastecimento do mercado português, informou a petrolífera em comunicado à CMVM. “Seguindo os protocolos de segurança, a empresa parou a operação da DAT que, após o seu arranque, é esperado que opere com taxas de utilização mais reduzidas durante algumas semanas”, sublinha o documento. A petrolífera liderada por Andy Brown refere ainda que as unidades de conversão se encontram a operar em condições normais e que a empresa “continuará a abastecer os seus clientes sem perturbações previsíveis no mercado português”.O acidente ocorreu no passado dia 9, pelas 22:00, tendo tido origem na explosão de um forno da DAT, apurou o mesmo jornal. Está em curso o relatório de investigação, que tem um prazo de conclusão de 12 dias úteis.

EDP e Repsol querem avançar juntas no hidrogénio verde em Sines

Com a EDP fora do mega consórcio H2Sines para a produção de hidrogénio verde e a Repsol a acabar de assinar com o Governo português um grande investimento para construir duas novas fábricas de polímeros no seu complexo industrial da refinaria de Sines, as duas empresas decidiram unir esforços e vão avaliar produção de hidrogénio renovável na região.

Na prática trata-se de aproveitar a complementaridade da operação da Repsol na mesma localização, enquanto potencial utilizador do gás renovável, e o papel da EDP enquanto fornecedora de energia. Mas este é apenas um dos projectos de cooperação no hidrogénio verde em cima da mesa.

A EDP Renováveis e a Repsol acabam de anunciar que vão trabalhar juntas na avaliação de novas oportunidades de investimento em projectos de hidrogénio renovável na Península Ibérica. Isto depois de já estarem juntas também no projecto eólico offshore Windfloat Atlantic, em Viana do Castelo.

O memorando de entendimento – assinado esta semana pelos presidentes executivos das duas empresas, Miguel Stilwell d’Andrade e Josu Jon Imaz, na embaixada de Espanha em Lisboa – marca o início das conversações entre as duas partes de forma a concretizar projectos no âmbito desta parceria ibérica na área de energias renováveis.

Em estudo estão já três potenciais projectos para avaliação: um em Portugal e dois em Espanha. No primeiro caso, trata-se então de explorar a produção de hidrogénio renovável em Sines, aproveitando a complementaridade da operação da Repsol na mesma localização, enquanto potencial utilizador do gás renovável, e o papel da EDP enquanto fornecedora de energia.

Depois da “guerra” com a Galp, Costa elogia a Repsol em Sines.

O primeiro-ministro António Costa esteve hoje em Sines, na apresentação de um projecto de ampliação do polo industrial local. O projecto custará 657 milhões de euros, resulta de um acordo entre o Governo e a empresa Repsol e António Costa pareceu aproveitar a oportunidade para uma indirecta à concorrente da empresa, a Galp, que o PM criticara de forma veemente em setembro pelo encerramento da refinaria de Matosinhos.

Elogiando a Repsol, uma “empresa de origem petrolífera” que “dá um excelente exemplo do que significa o compromisso com a transição climática“, António Costa defendeu: “Temos de mudar de paradigma e isso vai impactar forma de vida de muitas empresas do sector petrolífero”.

Para o primeiro-ministro, “a boa resposta” de uma empresa do sector petrolífero “não é desinvestir, é investir naquilo que permite descarbonizar e que permite continuar a servir a comunidade através de novos produtos de maior valor acrescentado, mais recicláveis, que permitam dinamizar a economia circular e que permitam contribuir para a transição energética”.

A Repsol não se coloca no lado errado da história, quer estar na vanguarda do lado certo da história. É um excelente exemplo para todas as empresas que, como a Repsol, têm a sua raiz na petroquímica e têm de necessariamente saber qreinventar-se para o futuro”, defendeu Costa.

Hoje, no mesmo discurso em que elogiou a Repsol, o primeiro-ministro vincou a importância de “Portugal continuar a ser seguro e previsível na sua trajectória económica e estabilidade financeira” — algo que, notara, tinha sido referido pouco antes pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, ali presente.

Via Observador

CNLA destaca-se no Circuito Nacional de Aguas Abertas

A equipa do Clube de Natação do Litoral Alentejano – CNLA destacou-se no Circuito Nacional de Águas Abertas na época de 2020-2021.Na presente época, a equipa do CNLA fez-se representar pelos masters Marco Vantaggiato, Mauro Inácio, Rodrigo Costa, Fernando Goidanich e, do escalão 18-19 anos, Samuel Mariano.Depois de terminadas todas as etapas e após a soma das pontuações de todas as provas, Marco Vantaggiato sagrou-se Campeão Nacional Absoluto Master, tendo sido também o 2.º classificado Master E. Mauro Inácio foi Vice-Campeão Nacional Absoluto Master e Campeão Nacional Master C. Fernando Goidanich foi o 4.º classificado Absoluto Master e ainda Campeão Nacional Master E. Já Rodrigo Costa conseguiu o 5.º lugar em Absoluto Master e foi Vice-Campeão Nacional Master E. Por fim, Samuel Mariano sagrou-se Vice-Campeão Nacional AA18/19.

Repsol investe 657 milhões na construção de duas fábricas em Sines.

A petrolífera espanhola Repsol e o Governo português vão anunciar amanhã, um investimento de 657 milhões de euros no Complexo Industrial de Sines, que visa a ampliação daquele espaço com a construção de duas novas fábricas.

O investimento da Repsol em Sines é considerado um projecto de potencial interesse nacional (PIN), “o maior investimento industrial dos últimos dez anos em Portugal”.

De acordo com o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, citado pela Lusa, a 8 de julho, aquando da apreciação deste investimento pelo Governo, este investimento da Repsol “vai não só contribuir para a descarbonização da economia portuguesa, como vai focar-se nos objectivos de aumentar as exportações e diminuir as importações”, na balança comercial nacional.

As duas novas fábricas, cuja construção está prevista começar este ano e terminar em 2025, vão trabalhar materiais poliméricos de alto valor acrescentado, 100% recicláveis, para as indústrias automóvel, farmacêutica ou alimentar, entre outras.

“Estima-se que, em momento de cruzeiro, o impacto directo do projecto na balança comercial de bens poderá andar muito próximo dos 800 milhões de euros”, afirmou Brilhante Dias em julho, sublinhando que este investimento vai “alargar a longevidade de uma instalação produtiva muito importante, que é o ‘site’ que a Repsol administra em Sines”, permitindo posicioná-lo “como uma infraestrutura moderna num sector que tem de contribuir para a descarbonização, já que a sua base é o combustível fóssil, é o petróleo”.

A cerimónia de apresentação de amanhã, será presidida pelo primeiro-ministro, António Costa, e contará com as intervenções do Ministro de Estado dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, do CEO da Repsol, Josu Jon Imaz, e do presidente da Repsol, Antonio Brufau Niubó.

Startcampus reforça conetividade entre continentes.

A StartCampus, empresa responsável pelo megacentro de dados SINES 4.0, e a EllaLink assinaram um acordo para reforçar a conectividade entre a Europa, América do Sul e África e promover Sines como “novo hub digital”.

Num comunicado conjunto emitido, a StartCampus e a EllaLink, referem que esta parceria vai proporcionar “um quadro de cooperação” entre as duas empresas, permitindo este acordo  garantir a interação entre as infraestruturas, a partilha de conhecimento e o estabelecimento de sinergias, com vista a “promover” Sines, “como um novo hub digital em sistemas de redes de dados globais”, sustentam.

A parceria entre as duas empresas tem o propósito de “ligar os dois projectos”, potenciando “a conectividade de Portugal e da região” e “reforçando a ligação direta entre a Europa, América do Sul e África”, destacam.

“Hoje, Sines, está directamente ligada a Lisboa e Madrid, na Europa, Fortaleza, São Paulo e Rio de Janeiro, no Brasil” e “no futuro, a conectividade será estendida a Marselha, Barcelona e Casa Blanca e, além disso, Estados Unidos, Ásia, África e Oriente Médio”, avançam.

O acordo vai permitir que o projecto SINES 4.0 possa “explorar todos os benefícios” que a ligação à América do Sul e a África poderá trazer “para a conectividade de Portugal e da Europa”, sublinhou o director da Start Campus, Afonso Salema, citado no comunicado.

“Esta ligação potencia os dois projectos e contribui para transformar Portugal num Hub do Mundo Digital e com isso colocar a nossa economia numa área de futuro que trará empregos qualificados e produção de riqueza para o país”, acrescentou.

Para o director de operações da EllaLink, Diego Matas, foi dado”um passo importante na afirmação de Sines como verdadeiro polo tecnológico”.

Fonte: RTP