MAISines formalizou Candidatura Autárquica.

O Movimento de cidadãos MAISines formalizou a sua Candidatura às próximas Eleições Autárquicas no Tribunal de Sines.

Na sua Página de Facebook, o Movimento afirma que foi dado “… um importante passo para a construção de um futuro como todos os sineenses e portocovenses merecem: um futuro com Mais Sines.”

Primeiros Candidatos do MAISines por órgão autárquico:

Câmara Municipal de Sines
António Braz, Gonçalo Naves e Gracinda Luz.

Assembleia Municipal
Manuel Lança, Paulo Freitas e Paula Schneider.

Junta Freguesia de Sines
António Mestre, Isabel Soares e Marília Lança.

Junta Freguesia de Porto Covo
Idalina Martinho, Hugo M e Carla Vilhena.

Programa NAU da EDP quer ajudar novos empreendedores em Sines

A EDP está à procura de novas empresas para apoiar nos municípios de Sines e de Santiago do Cacém, no âmbito do programa NAU.

Os empreendedores que queiram criar uma nova empresa poderão apresentar a sua ideia de negócio já a partir de hoje, dia 30 de julho.

“A iniciativa lançada pela EDP destina-se a todos os residentes nos dois municípios e pretende potenciar um ecossistema para o desenvolvimento de projectos empresariais ou de criação de emprego próprio, envolvendo acções de formação e consultoria, apoio técnico especializado e incubação de negócios”, explica a empresa numa nota publicada esta sexta-feira no site oficial.

No processo de selecção – que ficará concluído até setembro – serão avaliados vários critérios, tendo prioridade os projectos propostos por antigos trabalhadores da central termoelétrica de Sines, que encerrou em janeiro deste ano.

O programa Nau é uma de várias iniciativas desenvolvidas pela EDP na região, em conjunto com entidades locais, no âmbito do ‘Futuro Activo Sines’, numa estratégia que actua nas áreas da acção social, desenvolvimento, emprego e empreendedorismo, e atractividade pela cultura.

As candidaturas poderão ser apresentadas através do site do Sines Tecnopolo (ou na página do Facebook), até ao dia 26 de agosto.

PSD/CDS-PP formalizou Candidatura Autárquica

A Candidatura Autárquica do PSD/CDS-PP foi entregue no Tribunal em Sines. Primeiros Candidatos do PSD/CDS-PP por órgão autárquico:

Câmara Municipal de Sines
Nuno da Câmara Pereira, Joaquim Parrinha e Joana Oliveira

Assembleia Municipal
Paulo Edson, Luis Rodrigues e Sílvia Pereira 

Junta Freguesia de Sines
Ângelo Lima, Sandra Sousa e Tiago Silva

Junta Freguesia de Porto Covo
André Luz, Luis Pedro Silva e Susana Amorim.

Sines é o concelho onde a incidência é mais elevada.

Segundo avança o Noticias ao Minuto, por ordem, Sines é o concelho onde a incidência é mais elevada, com 1.364 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Seguem-se Portimão (1.183) e Albufeira (1.100).

Cale lembrar que a incidência e o índice de transmissibilidade – R(t) – já não servem de bússola para o plano de desconfinamento. Ainda assim, o Governo vai continuar a monitorizar estes dois indicadores. 

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou, na quinta-feira, três fases no processo “de libertação da sociedade e da economia” das restrições impostas por causa da pandemia, que se estendem entre 1 de agosto e outubro.

As três fases estão associadas à percentagem de população que as autoridades estimam ter a vacinação completa contra a Covid-19 a 1 de agosto (57%), 5 de setembro (71%) e outubro (85%).

CDU Sines entrega Candidatura Autárquica.

A candidatura da CDU aos órgãos autárquicos de Sines foi formalizada esta quinta feira, dia 29 de Julho, com a entrega das listas no Tribunal.

As listas foram entregues pelo mandatário da candidatura da CDU, Francisco do Ó Pacheco acompanhado de Jaime Cáceres, candidato à presidência da Câmara Municipal de Sines, Jorge Pereira, candidato à presidência da Freguesia de Sines e António Santos, candidato à presidência da Freguesia de Porto Covo.

As listas entregues colocam a paridade como um ponto determinante sendo compostas por 46,48% de mulheres e 53,52% de homens.

Yolanda Sequeira ficou em 5° Lugar nos Jogos Olímpicos

Yolanda Sequeira, surfista de 23 anos que treina em regime internato no PIG DOG SURF CAMP em São Torpes, conseguiu um diploma olímpico e terminou a prova de surf em 5.º lugar nos Jogos Olímpicos, em Tóquio.

Em jeito de balanço, a surfista assumiu-se orgulhosa por aquilo que fez no Japão.

“Estou muito feliz. Queria ter ido mais para a frente. Eu gosto destas condições, mas não consegui fazer mais do que uma manobra. Estava um bocado difícil, mas a Bianca conseguiu uma onda com mais manobras do que eu e recebeu maior ‘score’. Estava só à procura de encontrar a onda. Não deu. Estava a ver se dava, mas aquela última vi logo que não ia dar, então joguei a prancha para a frente para tentar apanhar outra, mas não deu”, lamentou, em declarações à RTP.

Covid 19: Litoral Alentejano com casos da Variante Delta plus

A variante Delta representa já  98,6% dos casos em Portugal.

O anúncio foi feito pelo  microbiologista João Paulo Gomes, do Instituto Ricardo Jorge, que disse ser espectável o aparecimento de novas variantes, mas sem preocupação por causa da vacinação.

O especialista falou na reunião de peritos que decorreu na terça-feira de manhã no Infarmed, acrescentando ainda que a variante Delta, associada à Índia, é também dominante na maior parte dos países europeus e que as variantes beta (Reino Unido) e gama (Manaus) não desapareceram, mas são residuais em Portugal.

Quanto à Delta plus, uma linhagem da variante Delta, disse que representa cerca de 0,6%, acrescentando que foram detectados apenas três casos em julho da variante Delta plus, que “constituem a continuação cadeias que existem há semanas”, sobretudo no litoral alentejano, no Algarve e na Região de Lisboa e Vale do Tejo.

Porto de Sines disparou 80% em Maio em relação ao mesmo mês em 2020.

Segundo avança a Revista Cargo, o relatório da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) é taxativo ao analisar o movimento portuário nos primeiros cinco meses de 2021: a performance no mês de Maio deu uma positiva guinada na tendência, sendo crucial para consolidar o movimento global de cargas nos portos do Continente em +5,8% face ao mesmo período de 2020. Só nesse mês, assinale-se, verificou-se uma variação homóloga positiva de +36,4%.

Frisa a AMT no seu relatório que «o mês de Maio introduz uma inflexão na curva do volume acumulado de carga movimentada no Ecossistema Portuário do Continente, ao registar um total de 7,6 milhões de toneladas, que corresponde a uma variação homóloga positiva de +36,4%». No entanto, a entidade contextualiza, lembrando a contracção em Maio de 2020, no auge do surgimento da pandemia no continente europeu.

Importa, contudo, relativizar este desempenho pelo facto de, por um lado, resultar da comparação com valores de meses homólogos que, sob efeito negativo das medidas de combate à pandemia de Covid–19 na sua primeira fase aguda (1.ª vaga), reflectiam níveis baixos da actividade portuária (apenas comparáveis com os do início de 2013)», recordou a AMT. No entanto, o Porto de Sines foi fundamental para a consolidação do resultado global nestes primeiros cinco meses do ano: um salto homólogo de +80% em Maio ajudou a fixar um crescimento nacional de +5,8%.

“TransforMAR” na Praia Vasco da Gama

A Praia Vasco da Gama em Sines, está na lista das 20 praias aderentes do projecto “TransforMAR”.

Este projecto surge de uma iniciativa pioneira do Lidl Portugal, juntamente com o Electrão e a  Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), contando com o apoio da Quercus e Agência Portuguesa do Ambiente (APA), e com a parceria da Brigada do Mar que, pelo 2º ano consecutivo, se junta ao TransforMAR, possibilitando a limpeza de praias, e de outras zonas não concessionadas, fora da época balnear, exponenciando o alcance do projeto.

Marcando presença em 15 praias marítimas e 5 praias fluviais, de norte a sul do país, durante os meses de julho, agosto e setembro, o TransforMAR disponibiliza um depósito próprio, onde os veraneantes devem colocar os seus resíduos de plástico e metal, evitando que este acabe nos rios, lagos e mar. Além disso, alargando a sensibilização das boas práticas coletivas, e mantendo a prática da edição anterior, este depósito conta ainda com uma explicação da sinalética de praia – semáforos – necessária para a redução de contágio do vírus COVID-19.

Sendo a promoção dos princípios da economia circular um dos pilares  deste  projeto, todo o plástico recolhido terá uma nova vida, à semelhança dos anos anteriores. Nesta 4ª edição, o plástico será igualmente convertido em donativos monetários para IPSS, escolhidas pelas Câmaras Municipais das praias aderentes, para que sejam aplicados em projetos de impacto ambiental.

Galp diz que intervenção nos preços é negativa

O presidente executivo da Galp mostrou-se “desapontado” com as conclusões do estudo conhecido na semana passada que aponta para um aumento das margens de comercialização das petrolíferas na venda de combustíveis.

Andy Brown acrescentou que o estudo promovido pela ENSE (Entidade Nacional do Sector Energético) — uma entidade tutelada pelo Ministério do Ambiente e Acção Climática — tinha vários erros nos cálculos que justificam cerca de 80% do aumento de margens identificado. Estas conclusões serviram de justificação ao Governo para anunciar medidas legislativas que permitam limitar temporariamente “margens excessivas” nos preços de venda dos combustíveis.

Brown começou por dizer que este “era um momento interessante para estar em Portugal”, referindo que a Galp ainda não conhecia a legislação nem conseguia avaliar o impacto da mesma na operação da petrolífera. O gestor desvalorizou o impacto da actividade de retalho e comercialização nos resultados da Galp — representa apenas 7% da margem bruta (EBITDA). Já a actvidade de distribuição corresponde a 12% do preço dos combustíveis e é responsável por milhares de postos e de empregos.

O presidente executivo destacou também que Portugal tem dos impostos sobre os combustíveis mais altos da Europa. Está no TOP cinco com a fiscalidade a pesar cerca de 60% do preço final . “Estão a ladrar à árvore errada” (barking at the wrong tree), afirmou o gestor inglês da Galp.

Andy Brown defendeu que é preciso corrigir na opinião pública a ideia errada que existe sobre os lucros das petrolíferas. “Acharem que é nas margens que ganhamos todo o dinheiro, é triste”. Garantiu que a Galp irá defender a sua posição junto do Governo. E avisou que qualquer intervenção regulatória no preço dos combustíveis — que é um mercado liberalizado — é negativa para qualquer país.