20 milhões€ para descarbonizar o Porto de Sines.

Segundo avança o Expresso, a APS – Administração dos Portos de Sines e do Algarve vai ter quase 20 milhões€ de fundos europeus para a modernização do complexo portuário de Sines no que concerne à descarbonização. As verbas são provenientes de fundos europeusz mais concretamente do REACT-EU, vertente do NextGenerationEU que a Europa montou para recuperar do impacto da pandemia da Covid-19.

O convite para apresentação de candidatura à Administração dos Portos de Sines e do Algarve foi lançado pelo programa Compete 2020 a 19 de janeiro. Segundo o programa responsável por estas verbas do REACT-EU, este apoio de natureza não reembolsável pode vir a maior.

Os fundos europeus permitem canalizae investimentos para obras em curso, tanto na construção e modernização de infraestruturas tal como na instalação e substituição de equipamentos pois são elegíveis para contabilidade de despesas realizadas e efetivamente pagas pelo beneficiário.

Como o projecto tem em vista a transição verde, através da criação de infraestruturas e instalação de equipamentos que permitam a movimentação de gases liquefeitos criogénicos, o abastecimento de navios com bancas isentas de emissões de gases com efeito de estufa e o fornecimento de eletricidade a navios, durante a sua permanência ao cais, através de OPS (Onshore Power Supply), fica dentro dos parâmetros definidos

Para o financiamento de substituição de equipamentos movidos a combustíveis fósseis por equipamentos elétricos, a Administração dos Portos de Sines e do Algarve deverá cumprir uma série de requisitos legais, tendo que demonstrar uma efetiva capacidade para suportar a totalidade dos encargos da operação ao longo da sua vida útil, nomeadamente na fase de construção e, posteriormente, na de exploração, através da cobertura dos custos totais de funcionamento.

CIMAL exige reposição dos comboios de passageiros entre Alcácer do Sal e Sines

Dirigentes da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) reuniram-se com os presidentes da Infraestruturas de Portugal (IP) e da CP – Comboios de Portugal para tratar de questões relativas à melhoria da rede rodoviária da região e da reintrodução de comboios regionais entre Alcácer do Sal e Sines.

O encontro com o Presidente da CP, Pedro Moreira, serviu essencialmente para os autarcas reforçarem a exigência de ser reposta a circulação de comboios regionais de passageiros entre Alcácer do Sal e Sines, reforçando a ligação entre a Área Metropolitana de Lisboa e o Alentejo Litoral, onde os investimentos previstos implicam a captação de elevada mão de obra e a consequente necessidade de deslocação.

Além da reabertura das estações, todas elas encerradas no troço da Linha do Sul entre Alcácer do Sal e Ermidas-Sado e no ramal Ermidas-Sado-Sines, a reposição do tráfego de passageiros até Sines implica a construção de uma nova estação nesta cidade.

Secretário de Estado da Internacionalização vai visitar o Complexo de Sines.

O Secretário de Estado da Internacionalização, Bernardo Ivo Cruz, vai visitar o Complexo Portuário, Logístico e Industrial de Sines no próximo dia 23 de janeiro. A visita inicia-se na Central Termoelétrica de Sines, da EDP Produção, onde tomará contacto com o descomissionamento da central termoelétrica a carvão e futuro projecto de hidrogénio verde GreenH2Atlantic, incluído no Sines Hydrogen Valley e na Estratégia Nacional para o Hidrogénio (EN-H2). Segue-se uma visita ao Complexo Petroquímico de Sines, da Repsol Polímeros, onde está em curso o projecto “Alba”, com a construção de uma fábrica de polietileno e outra de polipropileno, essenciais ao autoabastecimento e desenvolvimento da indústria nacional. Entre as 15 horas e a 16 horas, o Secretário de Estado da Internacionalização visita as obras de construção de um dos maiores centros de dados verde da Europa, com 495 MW de potência, que está a ser desenvolvido pela Start Campus. O Secretário de Estado visita depois a Refinaria de Sines, da Petrogal (GALP SGPS) onde está a ser implementada a estratégia de descarbonização “From a grey refinery to a green energy hub”, um projeto industrial integrado, sustentado na produção de hidrogénio verde que alavanque a produção de combustíveis sintéticos renováveis e de biocombustíveis avançados destinados a apoiar a transição sustentável do setor dos transportes, em particular na aviação, marinha e transporte rodoviário pesado de longo curso. Este projecto prevê especificamente a produção de hidrogénio verde, de SAF e de HVO em unidades de produção da Galp em Sines. Inclui ainda a instalação de uma rede piloto de postos de abastecimento de hidrogénio (HRS) que permita a utilização desta energia renovável no setor rodoviário. Finalmente, o membro do Governo reúne com a Administração dos Portos de Sines e do Algarve, acompanhando a expansão do Terminal de Contentores de Sines (Terminal XXI), a cargo do concessionário PSA Sines, e a perspectiva de ainda este ano ser lançado o concurso internacional para um segundo Terminal de Contentores de Sines (Terminal Vasco da Gama). Estes cinco ciclos de investimentos empresariais privados somam mais de 8.000 milhões de euros, com a criação esperada de 3.765 postos de trabalho permanentes. O Secretário de Estado da Internacionalização tutela a aicep Global Parques – Gestão de Áreas Empresariais e Serviços, S. A., entidade gestora da ZILS – Zona Industrial e Logística de Sines, onde estão a acontecer não só os investimentos da dupla transição energética e digital acima referidos, como ainda muitos outros; de produção de hidrogénio, amónia e e-metanol; e indústrias químicas e metalúrgicas descarbonizadas e circulares.

Homem morre no porto de Sines. Supervisionava os trabalhos de mergulho

Um homem, de 55 anos, morreu na tarde de ontem depois de, alegadamente, se ter sentido mal, entrando em paragem cardiorrespiratória”, enquanto supervisionava os trabalhos de mergulho efetuados no Terminal de Granéis Líquidos do porto de Sines”.

De acordo com um comunicado da Autoridade Marítima Nacional (AMN), o “alerta foi recebido pelas 13h07, através de funcionários da Administração do Porto de Sines”, tendo sido activados de imediato para o local elementos do Comando-Local da Polícia Marítima de Sines, bem como elementos do INEM e dos Bombeiros Voluntários de Sines.

As primeiras informações dão conta de que “a vítima sentiu-se mal no cais, entrando em paragem cardiorrespiratória, tendo sido de imediato auxiliada por elementos da Administração do Porto de Sines que iniciaram as manobras de reanimação”, com recurso a Desfibrilhador Externo Automático, até à chegada dos Bombeiros Voluntários de Sines e do INEM.

“Após diversas tentativas de reanimação, não foi possível reverter a situação, e o óbito foi declarado no local pelo médico do INEM”, acrescenta-se. Foi contactado o Ministério Público e o corpo foi posteriormente transportado pelos Bombeiros Voluntários de Sines para o Hospital do Litoral Alentejano. O Gabinete de Psicologia da Polícia Marítima foi ativado e encontra-se a prestar apoio aos familiares e amigos da vítima.

Formação do VGAC em atletismo na próxima quinta-feira.

A secção de Atletismo do Vasco da Gama Atlético Clube informou na sua página de facebook, que o primeiro treino com a formação é já na próxima quinta-feira dia 19 pelas 18h20 no IOS.

A reactivação desta secção teve por base garantir às pessoas de Sines que hoje em dia praticam corrida de forma isolada, ou em pequenos grupos, a possibilidade de pertencer a uma equipa e de certa forma a uma família, assim como garantir representação regular da cidade de Sines nas provas de atletismo nacionais e sobretudo regionais, tal como acontece com as principais localidades da região sul.

A primeira participação oficial da equipa de Atletismo VGAC, decorreu o ano passado em Grândola, na 2ª São Silvestre Grândola-Amiciclo 2022 .

Aumento do custo de vida e pobreza são assuntos que mais preocupam portugueses

O aumento do custo de vida, como consequência da inflação exacerbada pela guerra na Ucrânia, assim como a pobreza e a exclusão social são as questões que mais preocupam os portugueses, de acordo com o último Eurobarómetro.

De acordo com o último relatório estatístico europeu divulgado, que inquiriu 1.028 cidadãos portugueses de um total de 26.431 cidadãos pertencentes a Estados-membros da União Europeia (UE), 98% dos cidadãos nacionais identificou o aumento do custo de vida, por exemplo, através do aumento do preço de produtos alimentares e da energia como o assunto mais preocupante, uma percentagem que é em cinco pontos percentuais superior à média dos 27. Apesar da preocupação, 47% dos inquiridos nacionais respondeu que até ao momento está a viver com algum conforto com os rendimentos de que dispõe, enquanto 40% revelou que enfrenta algumas dificuldades actualmente e 9% disse que enfrenta bastantes dificuldades com os rendimentos actuais. Em comparação com a média europeia, 46% responderam que vivem confortavelmente com os rendimentos que têm, enquanto 36% dizem passar por algumas dificuldades.

O tópico seguinte que mais preocupa a população nacional é a pobreza e a exclusão social (95%). Aqui há um hiato maior para a média europeia, já que 82% responderam que esta era uma preocupação maior. Mas a maior disparidade surge quando a questão é sobre a possibilidade de propagação de doenças infecciosas como a covid-19 ou a varíola dos macacos. Os portugueses são mais receosos do que a média europeia, uma vez que 83% responderam que estavam “preocupados” com essa hipótese, em oposição à média da UE, que é de 62%.

Com a guerra na Ucrânia a cumprir quase um ano e sem desfecho à vista continua a pairar o receio de uma escalada nuclear do conflito, que se reflectiu na maioria dos mais de 1.000 cidadãos portugueses inquiridos. 89% respondeu que receia “incidentes nucleares” e apenas 9% respondeu que essa questão não levanta preocupações. Olhando para o conjunto dos países do bloco comunitário, 74% acredita que o risco é real, enquanto 25% descarta essa possibilidade

Questionados também sobre o estado da generalidade do país, 43% dos portugueses inquiridos considerou que está a ir “na direcção errada”, mas aqui os portugueses estão abaixo da média europeia, que é de 62%. 30% dos cidadãos nacionais consideram que Portugal está no caminho certo, 16% não sabem e 11% consideraram que a situação do país continua igual.

Em relação ao estado da União Europeia, a percentagem portuguesa (35%) contrasta com a europeia (51%) quando a resposta é “as coisas estão a ir na direcção errada. A mesma percentagem de portugueses considera que a União Europeia está no rumo correto.

Contudo, mais de metade dos portugueses (52%, no universo da amostra de 1.028) está optimista em relação ao futuro do bloco comunitário. Neste parâmetro, a população entre os 15 e os 24 anos e entre os 40 e os 54 anos é que apresenta uma fatia maior de optimismo em relação ao futuro da UE, 52% e 61%, respectivamente.

Adjudicada obra de 1,2M€ de reforço de água à Zona Industrial e Logística de Sines

O reforço do abastecimento de água potável à Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS), foi adjudicado à empresa vencedora do concurso por 1,2 milhões de euros, anunciou a promotora da empreitada. Em comunicado, a empresa Águas de Santo André (AdSA) revelou que o concurso público referente ao projecto, lançado em junho de 2022, foi ganho pela empresa Submerci – Construção e Urbanizações, Lda.

O respectivo contrato para a execução da empreitada, num montante de 1,2 milhões de euros, foi agora assinado entre a AdSA e a empresa vencedora do concurso.A empreitada prevê a “substituição parcial de uma das condutas existentes e a implantação de novas condutas junto aos actuais traçados, numa extensão total de cerca de 4,5 quilómetros”, explicou a AdSA, do Grupo Águas de Portugal. A obra, que terá “uma duração prevista de 365 dias”, vai permitir o “abastecimento de cerca de 1,5 milhões de metros cúbicos (m3) por ano de água potável à ZILS Norte”, estimou. Com este investimento, a empresa disse prever “um aumento significativo da resiliência e fiabilidade do sistema de abastecimento de água potável à ZILS Norte”.

O que vai permitir reforçar “a melhoria das condições existentes, aumentando a capacidade de resposta da AdSA perante o crescimento previsto para o complexo industrial de Sines”.

A empresa disse ainda estar “comprometida” em “reforçar o investimento na região” e “contribuir para a qualidade de vida das populações que serve, bem como para a preservação da qualidade do ambiente”.

Hotel Sines Sea View já abriu

É de quatro estrelas e promete, acima de tudo, muito conforto.

Situado num local privilegiado, a Sul-Nascente da cidade de Sines, com uma forte ligação à cultura e às tradições locais, o Sines Sea View Business & Leisure tem como objectivo oferecer uma experiência de alojamento genuíno, proporcionando uma estadia memorável e eficiente de uma forma totalmente personalizada.

Envolvido por uma filosofia de criar experiências, mas respeitando o ambiente em que está inserido, o Sines Sea View oferece quartos confortáveis, garantindo que terão tudo que precisam para uma revigorante estadia na cidade costeira de Sines. E por falar em quartos, promete-se uma junção de modernismo, conforto e elegância.

Os quartos do Sines Sea View Business & Leisure apresentam interiores contemporâneos, com varanda privada, ar condicionado, uma televisão de ecrã plano com canais por cabo, mini bar, cofre e uma casa de banho privativa com produtos de higiene pessoal gratuitos.

O hotel dispõe ainda de várias salas de reunião, servindo por exemplo para planear eventos; SPA com piscina interior aquecida com jatos de água, saunas aromáticas, banho turco e jacuzzi; um ginásio; o Bar à Vista Rooftop, totalmente open-air, onde se podem deixar surpreender com a vista de 360º do mar e cidade enquanto degustam um cocktail de assinatura; e o restaurante Volta do Mar, com uma vista panorâmica sobre a Costa Vicentina e com um menu que promete não desiludir.

Em menos de 24 horas, registado segundo sismo em Sines.

De acordo com a informação avançada na página oficial do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, conforme registo nas estações da rede sísmica do continente, a terra voltou a tremer ontem de hoje, próximo de Sines.

De acordo com o registado verficado na rede sísmica do continente e conforme divulgado pelo IPMA; o sismo registou-se às 16:47.

De acordo com o IPMA, tratou-se de um sismo de magnitude 1.2 na escala de richter, com uma latitude de 38.005 norte e uma longitude de 9.531W .