Bebés e famílias no Centro de Artes a 23 e 24 de Fevereiro

980bebes_1_980_2500.jpg

O Centro de Artes de Sines volta a promover um fim de semana dedicado a bebés e famílias, a 23 e 24 de fevereiro de 2019.

Esta edição do “Bebés e Famílias às Artes” começa sábado, 23 de fevereiro, às 10h00, com uma oficina de massagem ao bebé, pela enfermeira Maria José Freire.

Às 14h30 do mesmo dia, é apresentado o Baby Signs, programa de comunicação para bebés. A apresentação tem como destinatários bebés de 0 a 2 anos, pais, grávidas, avós, cuidadores, amas, profissionais de 1.ª infância e profissionais de saúde.

Ainda sábado, às 15h00, Vera Tavares traz música para bebés (acompanhados, no máximo, por dois adultos).

A primeira actividade de domingo, 24 de fevereiro, é o ateliê Bebés ao Colo, em que Albina Petrolati desperta o bebé para a música e movimento. Realizam-se duas sessões: às 10h00, para bebés de 3 meses a 1 ano; e às 11h00, para bebés de 1 a 2 anos.

O fim de semana para bebés e famílias termina domingo, às 16h00, com uma sessão de Hora do Conto Famílias, pela equipa de mediação de leitura do Serviço Educativo e Cultural do Centro de Artes de Sines, para bebés de 0 a 3 anos.

As iniciativas são gratuitas e estão sujeitas a marcação prévia, pelo telefone 269 860 080 ou pelo email servicoeducativoCAS@mun-sines.pt.

Anúncios

SI2E: Fundos para investir em projectos ligados ao mar.

51293401_2269183103133913_7202729321545334784_o_1_980_2500.jpg

Existe uma oportunidade para os empresários e empreendedores de Sines e Porto Covo que queiram investir em projectos ligados ao mar e aos recursos hídricos.

O SI2E – Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego, apresentado hoje na sala de sessões dos Paços do Concelho, ainda tem verba disponível para esta região e oferece cofinanciamento europeu que pode chegar a 50% a fundo perdido.

O investimento elegível dos projetos tem um limite de 100 000 €.

Podem candidatar-se, até 15 de março, micro e pequenas empresas com actividade em áreas como a restauração e comércio, alojamento e animação turística, serviços, atividades artesanais e oficiais e transformação agroalimentar e comercialização.

Um ponto essencial a reter é que o projexto tem de contribuir para valorizar os recursos e as actividades associadas ao mar e/ou recursos hídricos.

São apoiados investimentos em máquinas e equipamentos, informática, marcas, planos de marketing, obras de remodelação e participação eventos internacionais.

É condição das candidaturas a criação de pelo menos um posto de trabalho, que, mediante algumas condições, também pode ser cofinanciada.

Para mais informações sobre como se candidatar, os interessados devem contactar a ADL – Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano, com delegação em Santiago do Cacém, no lote 5 da ZAM, tel. 269 827 233 e email adl.alentejano@mail.telepac.pt.

Este sistema de incentivos é gerido pelo DLBC Costeiro Litoral Alentejano e é cofinanciado pelo Fundo Social Europeu, no âmbito do programa operacional Alentejo 2020 / Portugal 2020.

A sessão de esclarecimento realizada nos Paços do Concelho de Sines foi organizada em conjunto pela ADL e pela Câmara Municipal de Sines.

O presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas, e a vereadora do turismo, Filipa Faria, abriram a sessão, transmitindo uma mensagem de optimismo sobre o futuro do turismo no concelho.

A vereadora Filipa Faria afirmou o empenho da Câmara Municipal em ser um motor de dinamização do turismo em Sines, mas valorizou o investimento privado como fundamental para o desenvolvimento do sector.

O presidente da Câmara referiu como sinais concretos deste novo impulso as cinco novas unidades de alojamento que deverão nascer em Sines e Porto Covo a breve prazo, duas delas já em construção. Também os investimentos previstos nos sectores portuário e das energias renováveis deverão ter um impacto significativo nos sectores da restauração e da hotelaria.

Ecoslops com decisão positiva do IAPMEI.

ecoslops-e1435167798992.jpg

A Ecoslops divulgou duas decisões importantes, uma delas relacionada com a sua unidade em Sines. A Ecoslops recordou que o seu investimento em Portugal na sua primeira unidade industrial em Sines, beneficiou de um adiantamento de 6.2 milhões do IAPMEI (Fundo Europeu FEDER). Em 30 de janeiro de 2019, o IAPMEI notificou a Ecoslops da sua decisão de tornar o montante de 3.032 milhões não reembolsável (de um total remanescente de 5.177 milhões no final de dezembro de 2018). A Ecoslops sempre registou toda essa concessão no passivo (adiantamentos condicionais). A decisão do IAPMEI baseia-se no facto de que 100% dos objectivos socioeconómicos estabelecidos na Ecoslops quando o auxílio foi concedido foram cumpridos pela empresa.

Casa do Benfica em Sines com nova imagem.

Casa-Sines-Fachada-Thumbnail.jpg

A Casa do Benfica em Sines passou a estar no pelotão da centena de Casas com o projecto de Uniformização de Imagem. Para além da nova imagem,  também há uma oferta na área da restauração com nova dinâmica e menus Benfica, bem como todos os serviços e produtos que se encontram no Estádio da Luz. O espaço abriu com a nova dinâmica na passada terça-feira.

Trabalhadores alertam para situação na Galp

naom_5a6b37bf982c7

A Comissão Central de Trabalhadores (CCT) da Petrogal (Galp) alertou hoje para as situações das refinarias. No comunicado, a organização manifestou a sua preocupação pelo estado em que se encontra o aparelho refinador nacional, mencionando a greve da Refinaria de Sines que vai sucedendo há mais de trinta dias consecutivos. A Galp, que foi contactada pela Agência Lusa, não quis comentar “assuntos internos”, mas fonte da empresa garantiu que a refinaria de Sines, apesar do constrangimento colocado pela greve esta a funcionar dentro dos requisitos mínimos técnicos garantidos. Já a Comissão possui diferente entendimento: “As refinarias, além do que já foi referido, têm outras especificidades derivadas da natureza do trabalho que lá se desenvolve e também das culturas próprias de cada instalação, olimpicamente ignoradas pela administração Amorim”. Salientou a CCT que: “As paragens sectoriais realizadas em ambas as refinarias, em simultâneo, levaram ao esvaziamento de mão-de-obra qualificada das empresas do sector que não estão preparadas com meios humanos e técnicos para dar uma resposta adequada às necessidades e exigências que se colocaram”. A organização revelou ainda que pediu uma reunião à empresária Paula Amorim, mas ainda não conseguiu encontrar-se com a responsável.

Organização ambientalista Climáximo critica REN

ren-sines-720x430

A empresa Redes Energéticas Nacionais celebrou a 500ª entrega de gás natural liquefeito no Porto de Sines. A organização ambientalista Climáximo responde que não há nada a festejar no que considera mais “um crime climático”. E anuncia um acampamento contra o gás fóssil. Afirma ainda a organização, que o comunicado da empresa a dar ênfase a esse marco da 500ª entrega, nada menciona sobre as consequências ambientais deste modelo energético. Os ambientalistas denunciaram assim “a forma orgulhosa” que a REN utiliza neste anúncio, considerando que “não existe nada a celebrar em mais um crime climático” e salientando que “é urgente mudar de caminho para uma transição energética justa” para energias limpas. Para o Climáximo, a efeméride recorda outras coisas que não a eficiência de um porto. Nomeadamente, “a aposta no gás fóssil”, visível por exemplo nos furos de prospeção de gás na Zona Centro ou no gasoduto entre Guarda e Bragança, que “desmente o discurso do governo sobre a descarbonização da economia”. E deveria também “ser um alerta da dependência energética de Portugal de combustíveis fósseis”. Precisamente para combater o gás fóssil e para promover a “justiça climática”, esta organização junta à sua denúncia a convocatória para um “acampamento de acção” contra uma infraestrutura de gás fóssil, denominado Camp in Gás, e que acontecerá verão de 2019.

Teatro: Companhia Sillyseason apresenta-se em Sines.

980_sillyseason_c_alipio_padilha_1_980_2500.jpg

A companhia SillySeason apresenta a peça de teatro “O Testamento em Três Actos”, dia 9 de fevereiro, às 21h30, no auditório do Centro de Artes de Sines.

Em “Testamento em Três Actos”, os SillySeason apropriam-se dos seus pais, convidando-os a integrar o objecto artístico, e confrontam-nos com o texto “Rei Lear”, de William Shakespeare. Tudo isto “dentro de cena, mas fora de moda”.

Tanto em Shakespeare como nos SillySeason, o momento de amar um pai confunde-se com a a ção de amar um país. Estamos entre a tradição e a revolução.

SillySeason é uma companhia de teatro fundada pelos artistas Ivo Saraiva e Silva, Cátia Tomé e Ricardo Teixeira que tem vindo a desenvolver, desde 2012, produções artísticas nas áreas do teatro, da performance e do vídeo.

Das principais intenções do colectivo, ressaltam: a produção de objectos que permeiem a fusão de vários materiais e discursos artísticos, o desenvolvimento do trabalho em rede e o incentivo à descentralização e à internacionalização.

O bilhete para o espectáculo custa 5 euros.

A apresentação no Centro de Artes de Sines é uma iniciativa da Câmara Municipal de Sines.

Foto (c) Alípio Padilha