Correcção sobre artigo.

Fotor_157082952309912.jpg

No artigo anterior, sobre a apreensão de 600 quilos de sardinhas por parte da GNR, a nossa biblioteca de imagens transpôs erradamente uma foto de carapau, ao invés de sardinhas, que tinha sido mencionado no artigo. Sendo que o artigo foi programado para ser publicado, não foi dada com essa falha na transposição. E por isso as nossas desculpas. E agradecemos todos os vossos comentários ( incluindo os jocosos e até os mais ofensivos).

Sinceros Cumprimentos

Notícias de Sines

Anúncios

GNR apreende 600 quilos de sardinha na lota de Sines.

naom_5da094658ebb1.jpg

Em comunicado, a GNR indicou que a apreensão ocorreu durante uma operação de fiscalização destinada ao controlo das descargas de pescado proveniente das embarcações de cerco no porto de pesca de Sines.

Durante a operação, “os militares detectaram que uma das embarcações tinha ultrapassado a quota diária de pesca permitida para aquela espécie”, lê-se no comunicado.

No decorrer da operação, segundo a GNR, foi identificado um homem, de 74 anos, e elaborado um auto de contraordenação, sendo a infração punível com uma coima até 25 mil euros.

“A prática de uma pesca sustentável, que respeite a natureza e a integridade dos ecossistemas, contribui para a conservação das unidades populacionais de peixes e, ao mesmo tempo, para a criação de condições de prosperidade e emprego no sector das pescas”, recorda a guarda.

O pescado apreendido foi doado a várias instituições de solidariedade da região.

Importações caem em agosto. Exportações também, por causa da paragem de Sines.

galeria_refinarias_sines5.jpg

As exportações e as importações de bens recuaram, em termos homólogos nominais, 3,8% e 4%, em agosto, tendo permitido que o défice da balança comercial melhorasse em 78 milhões de euros para 1.638 milhões de euros, indicou ontem o Instituto Nacional de Estatística.

“Em agosto de 2019, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de -3,8% e -4%, respetivamente. Destacam-se os decréscimos nas exportações e nas importações de Combustíveis e lubrificantes (-44,1% e -43,7%, respetivamente), nomeadamente nas exportações de Produtos transformados e nas importações de Produtos primários”, salienta o INE, indicando o encerramento para manutenção da refinaria de Sines (durante o mês de agosto) como explicação para essa evolução.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, a tendência registada foi, portanto, a inversa, isto é, tanto as importações como as exportações subiram (4,4% e 0,6%, respetivamente).

Tudo somado, o défice da balança comercial de bens registou um recuo de 78 milhões de euros face ao mesmo período do ano passado, atingindo 1.638 milhões de euros, em agosto. Sem considerar os combustíveis e lubrificantes, o défice comercial agravou-se em 190 milhões de euros em termos homólogos para 1.288 milhões de euros.

Fonte: INE

Cinema: Sines recebe extensão do Curtas Vila do Conde.

g_curtas_1_980_2500_1_980_2500.jpg

O auditório do Centro de Artes de Sines acolhe, a 18 e 19 de outubro, uma extensão do festival de cinema “Curtas Vila do Conde”.

O primeiro dia da extensão, 18 de outubro, às 21h30, é dedicado ao público jovem e adulto (M/12). Serão exibidas as curtas-metragens “Mesa para dois no Carpa”, de Francisco Lobo, “Purpleboy”, de Alexandre Siqueira, “Panique ao Village – La Foire Agricole”, de Stéphane Aubier e Vincent Patar, “Los que desean”, de Elena López Riera, e “Nefta Football Club”, de Yves Piat.

A sessão de 19 de outubro, designada “Curtinhas”, tem como destinatário o público infantil (M/6) e suas famílias. Tem início às 15h00 e inclui filmes de França, Bélgica, Suíça, Hungria, República Checa, Eslováquia e Polónia.

Os bilhetes para a sessão de 18 de outubro custam 5 euros.

No caso da sessão de 19 de outubro, para as crianças, o preço dos bilhetes é de 3 euros.

Reservas disponíveis pelo telefone 269 860 080.

A partir de agora, ter um animal de estimação fica mais caro.

710819

Mário Centeno, ministro das Finanças, e Capoulas Santos, ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, uniram-se e criaram uma taxa de 2,50 euros por cada registo de animal de estimação, para os anos de 2019 e 2020.

Além do já conhecido sistema de chip, é agora obrigatório o registo dos animais no Sistema de Informação de Animais de Companhia (SIAC). De acordo com a portaria publicado em Diário da República, o objectivo é «desenvolver normas de prevenção do abandono animal e de promoção da detenção responsável».

A lista dos animais que, obrigatoriamente, têm de estar registados no SIAC engloba cães, gatos e furões, sendo que a taxa a pagar «constitui receita da DGAV [Direção-Geral de Alimentação e Veterinária]». Primeiro, deverá ser colocado o chip no animal e, depois, deverá ser registado no SIAC, onde vão estar reunidas informações sobre o dono, respectivo contacto e médico veterinário responsável pelo chip.

Competitividade. Num ano, quase nada mudou na economia portuguesa.

711000.png

Pouco ou nada mudou na economia portuguesa no espaço de um ano e, por isso, Portugal manteve o 34.o lugar no ranking de competitividade do Fórum Económico Mundial, o Global Competitiveness Index 4.0, que engloba a análise a 141 países. Ainda assim, a pontuação portuguesa subiu ligeiramente: duas décimas, para 70,4 pontos, numa escala de 100. O certo é que a pontuação portuguesa tem vindo a registar uma evolução desde 2016.

Por sector, as melhores classificações são conseguidas nos pilares das infraestruturas (21.o lugar), saúde (22.o), dinamismo dos negócios (28.o), instituições (30.o), capacidade de inovação (31.o) e adoção de tecnologias de informação e comunicação (34.o). Por outro lado, a estabilidade macroeconómica (62.o lugar), dimensão do mercado (51.o), mercado de trabalho (49.o), competências (43.o) e mercado de bens (39.o) prejudicam a economia nacional.

A esperança média de vida dos portugueses é um dos factores que mais pontos deram ao nosso país – à semelhança do que aconteceu no ano passado -, parâmetro em que Portugal conseguiu 94 pontos. No entanto, é na capacidade de inovação que Portugal tem a pontuação mais baixa, tendo conseguido apenas 53,7 pontos. Neste campo, é a Alemanha que ocupa um dos lugares cimeiros.

Nos 12 pilares analisados (instituições, infraestruturas, adaptação às TIC – tecnologias de informação e comunicação, estabilidade macroeconómica, saúde, competências, mercado de produtos, mercado de trabalho, sistema financeiro, tamanho do mercado, dinamismo dos negócios e ainda capacidade de inovação), Portugal desceu em sete pilares, subiu em quatro e manteve a posição em um.  A maior queda, com Portugal a descer 14 posições, foi no pilar do mercado laboral, sendo a área que mais penaliza a competitividade da economia portuguesa.

Os impostos e a mobilidade laborais, assim como a dificuldade em contratar e despedir, são os pontos específicos onde Portugal tem as piores posições a nível mundial.  O certo é que é nestas matérias que os empresários e as confederações patronais mais têm insistido quanto à necessidade de levar a cabo essas mudanças.

Temperatura máxima sobe esta quinta-feira e os termómetros vão ultrapassar os 30 graus

711014

Esta quinta-feira vai ficar marcada pelo bom tempo. De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), além de ser esperado céu geralmente limpo em todo o país, há ainda uma subida da temperatura máxima.

Está também previsto vento fraco a moderado (até 25 km/h) do quadrante leste, soprando moderado (20 a 30 km/h) de noroeste na faixa costeira ocidental. Nas terras altas, o vento será moderado a forte (25 a 40 km/h) do quadrante leste, sendo nas regiões Norte e Centro até meio da manhã e a partir do meio da tarde no Algarve. A subida da temperatura máxima será mais significativa no litoral Norte e Centro.

Em Évora, a temperatura máxima vai chegar aos 32 graus, aos 31, em Beja e Santarém, e aos 30 em Setúbal e Castelo Branco. Viseu será o distrito onde a temperatura máxima será mais baixa, com os termómetros a marcar os 23 graus.

A temperatura mínima vai variar entre os 18 graus, em Faro, e os 8 graus, em Bragança.

O IPMA colocou, esta quinta-feira, sete concelhos dos distritos de Faro, Portalegre, Castelo Branco e Santarém em risco máximo de incêndio.

Foto: Diana Tinoco