Município promove limpeza da praia da Costa do Norte.

No âmbito de um desafio lançado pela Fundação Oceano Azul, a Câmara Municipal de Sines vai levar a cabo uma limpeza na Praia da Costa do Norte, a norte da zona do restaurante “O Guia”, nas manhãs de 19 e 20 de setembro. O desafio lançado pretende assinalar o Dia Internacional de Limpeza Costeira, o Dia Nacional de Limpeza de Praias e o World Cleanup Day com acções que contribuam para um oceano mais limpo e saudável, entre os dias 19 e 27 de setembro. A intervenção, sendo repartida por dias diferentes, permitirá assegurar as melhores condições de adesão e responder às condicionantes impostas pela Covid-19. O ponto de encontro dos interessados em participar na limpeza será a zona do restaurante “O Guia” (Costa do Norte), às 9h30. Recomenda-se levar chapéu, protector solar, calçado confortável, um pequeno lanche e água. Para esclarecimento de dúvidas, contactar o serviço de Ambiente (ambiente@mun-sines.pt).

Aulas em casa, presenciais ou à distância para crianças em grupos de risco.

O Ministério da Educação confirmou, nesta quinta-feira, que os alunos que pertençam a grupos de risco face à covid-19 poderão ter aulas a partir de casa desde que estejam “em declarado risco acrescido e cujo afastamento da escola não seja prejudicial por outros factores”.

Numa nota enviada, o ME informa que já emitiu um despacho nesse sentido e que este consiste, “numa extensão, com as devidas adaptações, do disposto na portaria 350-A/2017, que estabelece as medidas de apoio para alunos com doenças do foro oncológico”.

Segundo ME, os alunos em grupos de risco poderão “dispor de acompanhamento não presencial, recorrendo a apoio que permita manter o contacto com a turma de origem, mediante acordo com a família, podendo ser mobilizados recursos em caso de manifesta necessidade”.

Estes alunos poderão beneficiar assim de “condições especiais de avaliação e de frequência escolar”. No novo despacho, que ainda está para publicação, especifica-se que as “condições especiais de frequência escolar” podem passar por um “apoio educativo individual em contexto escolar ou no domicílio, presencial ou à distância, através da utilização de meios informáticos de comunicação”.

Os próximos dias são de calor, com máximas a chegar aos 38 graus.


Se escolheu o inicio de Setembro para as suas férias temos boas notícias para si, as temperaturas começaram já hoje a subir, prevendo-se que assim continuem até ao próximo domingo, com os termómetros a chegar mesmo aos 38 graus em algumas regiões do país, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

No que diz respeito ao vento, será «fraco predominante do quadrante leste, devido a uma massa de ar quente e seca que influencia também a subida de temperatura», que já se fez sentir a partir desta quinta-feira e se prolonga até domingo.

Os valores da subida de temperatura já justificam a presença de avisos amarelos devido ao tempo quente, sendo que o IPMA tem sob este aviso «todos os distritos do litoral, nomeadamente Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Santarém e Setúbal». Para além destes toda a região sul, à excepção de Faro, está também em alerta devido às temperaturas elevadas.

O IPMA refere que a subida de temperatura, entre um a dois graus, vai continuar até domingo, variando sensivelmente entre os 26 e os 38 graus, sendo que as regiões do Alentejo são mais propicias a registar valores mais elevados.

Desta forma, segundo o IPMA esperam-se máximas de 29 graus em Faro, 38 graus em Évora, Setúbal, 36 graus em Lisboa, 38 graus Santarém, 34 graus Coimbra, 28 graus Aveiro, 29 graus no Porto e 34 graus Braga.

A partir de segunda-feira os termómetros voltam a descer, novamente, mantendo-se essa tendência de descida ao longo da próxima semana, contudo sem a previsão da ocorrência de precipitação. As temperaturas que se prevêem agora de 38 graus na região do Alentejo, na próxima semana ficam-se pelos 32, 33 graus, o mesmo acontece nas restantes regiões o que mostra uma redução significativa.

Em Sines, nos próximos dias, são esperadas temperaturas de 29° para amanhã e de 26° para sábado e 27° para domingo.

Governo aprova IVA da eletricidade diferenciado de acordo com o consumo.

O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira a aplicação de taxas de IVA da eletricidade “diferenciadas em função dos escalões de consumo”.

No briefing da reunião do Governo, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou a aprovação desta aplicação, uma medida que será detalhada pelo ministro de Estado e das Finanças, João Leão, na mesma conferência de imprensa.

Numa recente entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro, António Costa já tinha garantido que o Governo vai “usar ainda este ano a autorização legislativa” que foi concedida “para a redução do IVA” da eletricidade.

Exposição no CAS recebe visitas orientadas pelo seu curador.

Em colaboração com o Serviço Educativo e Cultural da Câmara Municipal de Sines, o curador da exposição “Público/Privado – Doce Calma ou Violência Doméstica?”, Miguel Sousa Ribeiro, irá realizar visitas orientadas à mesma, no dia 7 de setembro. As visitas destinam-se ao público em geral e serão realizadas às 11h00 e às 17h00, sendo necessária marcação através do email servicoeducativoCAS@mun-sines.pt. Cada grupo deverá ser constituído por, no máximo, 15 pessoas. A exposição poderá ser visitada até 18 de outubro de 2020, de segunda a sexta-feira das 10h00 às 18h00, e ao sábado das 11h00 às 17h00, no Centro de Artes de Sines.

Covid-19: Sindicato anuncia pré-aviso de greve para os primeiros dias de aulas.

24453597_770x433_acf_cropped

O Sindicato de Todos os Professores (STOP) anunciou esta quarta-feira um pré-aviso de greve de docentes e funcionários para os primeiros dias de aulas caso não estejam garantidas condições de segurança que minimizem riscos de contágio de covid-19.Em declarações à Lusa, o coordenador nacional do STOP, André Pestana, revelou que entregou pré-avisos de greve para os dias 14 a 17 de setembro, de forma a “garantir a segurança de alunos, professores e funcionários que vão regressar às escolas e que são mais de um milhão”. As aulas começam entre os dias 14 e 17 de setembro, em plena pandemia de covid-19, tendo sido emitidas várias orientações por parte do Ministério da Educação (ME) e da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre o funcionamento dos estabelecimentos de ensino, desde regras de segurança e higiene, até ao distanciamento e etiqueta respiratória. No entanto, o sindicato entende que existem ainda três motivos que justificam o protesto: a falta de assistentes operacionais, o desconhecimento dos direitos dos trabalhadores que englobem os grupos de risco e algumas das orientações emitidas para as escolas.

Aprovado o primeiro curso de medicina numa universidade privada em Portugal.

1024

O curso de Medicina da Universidade Católica Portuguesa foi acreditado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES). O anúncio foi feito esta ontem pela reitora da instituição. Recorde-se que, em 2019, a Universidade Católica tinha visto a sua proposta chumbada pela A3ES. Em causa estavam dois pareceres negativos, um da comissão de avaliação de peritos nomeada pela A3ES para analisar o processo e outro da Ordem dos Médicos, que se tinham manifestado contra a proposta da universidade, apontando-lhe “insuficiências”. Para a apreciação negativa da A3ES contribuíram as falhas apontadas nos dois pareceres, nomeadamente questões pedagógicas, a discordância da Ordem dos Médicos em relação a uma disciplina e ao tempo insuficiente de contacto com a prática clínica em hospitais.Foi ainda considerada a sobreposição de oferta, uma vez que a abertura do curso representaria uma terceira formação em Medicina na região de Lisboa, e o facto de “parte do pessoal docente da nova faculdade ser retirada da Universidade de Lisboa e da Universidade Nova de Lisboa”. Em julho, o bastonário da Ordem dos Médicos acusou o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, de fazer uma “pressão brutal” sobre a Agência de Avaliação e Acreditação  para a abertura de novos cursos de medicina.

Pesca e aquacultura já pediram mais de 18 M€ em créditos

naom_5b62dc14af359

O sector da pesca e da aquicultura já solicitou mais de 18 milhões de euros de crédito para colmatar o impacto da pandemia de covid-19, indicou o Ministério do Mar. “Portugal foi o primeiro Estado-membro a ser autorizado a adoptar uma linha de crédito específica para o setor da pesca e da aquicultura. Este apoio é autónomo da linha de apoio capitalizar e disponibiliza 20 milhões de euros de apoio à pesca e aquicultura, com juros bonificados, com o objectivo de disponibilizar os meios financeiros necessários para fazer face às necessidades de fundo de maneio e de tesouraria”, sublinhou, em comunicado, o executivo. De acordo com os dados avançados pelo ministério tutelado por Ricardo Serrão Santos, foram aprovadas 91 candidaturas e solicitados 18.372.766,40 euros. Por sua vez, o crédito enquadrado situa-se em 16.904.816,18 euros, prevendo-se ainda uma bonificação de 1.645.888,17 euros. No âmbito do programa operacional Mar 2020 foi também lançado um aviso de abertura de candidaturas para empresas de transformação de pescado, direccionado a investimentos em eficiência energética, com 1,5 milhões de euros alocados. Este apoio recebeu oito candidaturas, com um investimento global proposto de 1,7 milhões de euros. A segunda fase de submissão de candidaturas vai decorrer até ao final de outubro. Já no que se refere às compensações financeiras, o Mar 2020 pagou 2,1 milhões de euros ao sector das pescas. O programa operacional Mar 2020, que se insere no Portugal 2020, tem uma dotação global de 508 milhões de euros, 116 milhões de euros dos quais correspondem à contrapartida pública nacional, que tem origem no Orçamento do Estado.

Foto: © iStock

Bruxelas aprova crédito de 5 milhões para apoiar agricultura.

748470

A Comissão Europeia aprovou uma ajuda estatal de Portugal, uma linha de crédito no valor de cinco milhões de euros, para apoiar os sectores agrícola e agroalimentar na Madeira afectados pela pandemia de covid-19. O objectivo é, através deste auxílio estatal, “ajudar os beneficiários a fazer face à escassez de liquidez”, acrescenta a Comissão Europeia. E, para isso, Portugal vai antecipar, ao abrigo desta linha de crédito, o apoio aos produtos e empresas destes sectores previsto no programa de apoio comunitário às regiões ultraperiféricas, o POSEI.

“A Comissão verificou que o regime português está em conformidade com as condições do Quadro Temporário”, justifica a instituição, numa alusão à legislação temporária adoptada por Bruxelas em altura de severa crise gerada pela pandemia de covid-19. Em concreto, está previsto nesta ajuda estatal que o montante total do empréstimo concedido por empresa não ultrapasse 25% do seu volume de negócios total em 2019 ou o dobro da massa salarial anual do ano passado e ainda que os contratos de empréstimo sejam assinados até final deste ano. “A Comissão concluiu que a medida é necessária, adequada e proporcional para sanar uma perturbação grave da economia de um Estado-membro”, conclui Bruxelas. Em causa estão regras mais ‘flexíveis’ de Bruxelas para as ajudas estatais, implementadas devido ao surto de covid-19.

Teatro do Mar apresenta M.A.R.OUT

980marout_1_980_2500

O Teatro do Mar, em coprodução com a Câmara Municipal de Sines, promove em setembro a iniciativa M.A.R.Out, que vem na sequência da impossibilidade de ser realizada a 4.ª edição da M.A.R. – Mostra de Artes de Rua 2020. Embora não invocando públicos presenciais, a M.A.R.Out prossegue, de algum modo, os objectivos artísticos da mostra. Define-se como “escrita poética na paisagem, um encontro do território e da cultura com as artes de rua, a música e o vídeo”. A M.A.R.Out é criada propositadamente para ser filmada, editada e estreada online. A partir de uma proposta da direcção artística da M.A.R., foram desafiados artistas nacionais a criar para a rua, cruzando as suas performances com o olhar de um realizador e a música de vários compositores. Fundindo as artes de rua (no caso, a dança, o clown, a performance e o circo/manipulação de objectos) com a música original, são produzidos quatro vídeos artísticos, de caráter poético, inspirados pelas ruas, paisagem, indústria, cultura e história da cidade, tendo convidado, para cada um dos quatro distintos objetos artísticos, um intérprete/criador e um músico compositor. Os vídeos passarão nos dias 6, 13, 20 e 27 de setembro, às 22h00, nas plataformas do Facebook da M.A.R., Teatro do Mar e Câmara Municipal de Sines. Serão, em fase posterior à sua estreia online, reunidos num filme único, a apresentar publicamente em locais a anunciar. O projecto tem direcção artística de Julieta Aurora Santos / M.A.R., realização de André Costa Santos e assistência de realização de Mariana Machado. Os intérpretes / criadores são Rui Paixão, Carlos Hernâni Campos, André de Campos e Beatriz Dias. Os músicos convidados são, na mesma ordem, Surma, Miguel Ramires, Diogo Melo e Tiago Inuit. Entram excertos de textos de Al Berto, Pica Lima e Mariana Machado.

Créditos

Direcção Artística: Julieta Aurora Santos/M.A.R. – Mostra de Artes de Rua
Realização: André Costa Santos | Assistência de realização: Mariana Machado
Intérpretes/Criadores: Rui Paixão, Carlos Campos, André de Campos e Beatriz Dias
Músicos: Surma, Miguel Ramires, Diogo Melo, Tiago Inuit
Textos: (excertos) de Pica Lima, Al Berto, Mariana Machado
Direcção Financeira e Gestão: Sónia Custódio
Direcção de Produção: Frederico Salvador
Produção Executiva: Roberta Marques
Apoio Técnico e Logístico: Teatro do Mar